Abla inicia Fórum Internacional de Locadoras nesta terça (19)

O XVI Fórum Internacional do Setor de Locação de Veículos tem início nesta terça-feira (19).

 

Organizado pela Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), o evento segue até quinta (21), em formato digital, com o tema central “A Nova Era do Aluguel de Veículos: a reinvenção da liberdade de ir e vir”, que irá reunir mais de 700 empresários e dirigentes de montadoras, bancos, fornecedores de produtos e serviços, concessionárias e líderes de entidades nacionais e internacionais.

Fórum Internacional irá reunir mais de 700 empresários e dirigentes do setor

O setor segue em recuperação desde os meses mais críticos da pandemia, entre março e junho de 2020. “Decidimos manter o formato digital em benefício da segurança de todos. Mas, claro, sem abrir mão de oferecer conteúdo inédito”, diz o presidente da ABLA, Paulo Miguel Jr.

No Brasil, o setor conta com mais de 10 mil locadoras e uma frota de mais de um milhão de veículos. Para além do tema central, o XVI Fórum das Locadoras também irá abordar tecnologias, inovações e soluções apresentadas por startups de mobilidade, eletrificação de frotas, carro por assinatura e os impactos da tributação para as locadoras.

Entre os convidados confirmados no painel de abertura estão dois palestrantes internacionais. De Lisboa, Joaquim Robalo de Almeida que é secretário-geral da Associação dos Industriais de Aluguer de Automóveis sem Condutor (Arac). Entidade representativa das locadoras em Portugal. E dos Estados Unidos, Chris Brown, editor de publicações estrangeiras dedicadas à locação de veículos, como o Business Fleet, Auto Rental News e Fleet Forward.

Europa

Na Europa, de maneira geral, a situação não é diferente da vivenciada aqui no Brasil. O mercado de locação ainda está absorvendo os reflexos de 2020. Isso desencadeou um novo cenário que, nesse momento, se assemelha muito com a realidade das locadoras brasileiras. Demanda em alta, mas com pouca oferta de veículos novos para renovar a frota e ampliar os negócios.

“Ao contrário da crise que enfrentamos há uma década, a atual acontece num tempo em que a dinâmica do mercado era muito boa, antes da pandemia. A falta de veículos novos para aluguel provoca uma elevação nos preços. Algo que também acontece com os mercados de hospedagem e aviação”, comenta Almeida.

2022

Para o restante de 2021, e o próximo ano, a expectativa, segundo o executivo português, é de alguma recuperação da atividade turística internacional. Com o consequente aumento de turistas estrangeiros em Portugal. Enquanto que, com relação à terceirização de frota, espera-se crescimento a partir do “desconfinamento”.

De acordo com Joaquim Robalo de Almeida, “o mercado também se renova com a criação de produtos de mobilidade cada vez mais flexíveis para os clientes. As locadoras estão se transformando em consultores e fornecedores de mobilidade. Oferecem as soluções mais adequadas a uma clientela cada vez mais exigente. Estamos convictos de que, passada a fase difícil que atravessamos o mundo e os vários setores da mobilidade irá retomar a sua atividade normal”, finaliza.

Já Brown lembra que problemas comuns ao Brasil também afetam o mercado norte-americano de locação.

Segundo ele, tanto lá, quanto aqui, a retomada do aluguel de carros está represada. Em função da falta de veículos novos para as locadoras comprarem e aumentarem suas frotas. “As empresas de locação enfrentam os reflexos da pandemia de forma acentuada, convivendo com um desequilíbrio que não deve se dissipar tão cedo”, avalia.

De acordo com ele, a falta de veículos novos atingiu um patamar jamais visto na história da indústria automotiva mundial. “Não há produção suficiente por causa da escassez de semicondutores. E as montadoras estão priorizando as vendas ao varejo em detrimento dos pedidos das locadoras. Aqui, as empresas de locação estão, inclusive, adquirindo até veículos seminovos”, afirma.

Fórum Internacional de Locadoras de Veículos
Translate »
WhatsApp chat