Número de motoristas de aplicativo aumenta durante a pandemia em Varginha, MG

Cidade possui dez servidores de mobilidade diferentes, sendo que número de motoristas aumentou para cerca de 800.

O número de motoristas por aplicativo aumentou em Varginha (MG) durante a pandemia. Este tipo de trabalho é uma forma de combater o desemprego, que aumentou com a pandemia do novo coronavírus. Na cidade já são dez aplicativos de mobilidade em funcionamento, sendo um deles específico para mulheres.

Quem costuma usar aplicativos de mobilidade na cidade tem percebido ser mais rápido acioná-lo e encontrar um carro disponível. E o motivo é simples: em média, antes da pandemia, eram 700 motoristas e agora são mais de 800, segundo o presidente da Associação de Motoristas de Aplicativo Parceiro (Amap).

“A gente observa que muita gente acabou perdendo o emprego devido à pandemia. Como trabalhar como motorista de aplicativo é uma opção de trabalho autônomo, em que é possível fazer o cadastro em um aplicativo e estar trabalhando no seu horário e conforme a sua disponibilidade”, destacou o presidente da Amap, Marcelo Henrique Gonçalves.

Pelo último balanço divulgado do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, Varginha já tinha perdido 1.430 postos de trabalho até o mês de maio.

Gabriel Ferreira trabalhava com eventos e, vez ou outra, fazia algumas corridas. Agora, o transporte de passageiros virou o único trabalho dele.

“Se não fossem os aplicativos hoje eu estava parado e passando necessidades. Mas apareceu essa oportunidade e está salvando, é o que está mantendo as contas [em dia]”, destacou Gabriel.

Exclusivo para mulheres

Varginha tem hoje cerca de dez aplicativos de mobilidade em funcionamento. Um deles, com serviço específico para mulheres. E elas também têm trabalhado mais. Só este mês, são mais de 30 novas motoristas que estão sendo preparadas pra entrar no mercado de trabalho.

“As mulheres têm buscado o aplicativo delas por ele ser voltado para mulheres. Elas vieram buscar uma forma de renda, de trabalho, já que com escolas paradas, creches paradas, filho em casa, rotina muda. Elas tiveram que se reinventar no mercado de trabalho para estar levando seu sustendo para casa”, destacou a administradora do aplicativo Regina Aparecida da Silva Souza.

Rosani Naves ainda trabalha como secretária. Mas se interessou pela possibilidade de trabalhar numa segunda jornada com horário flexível. Uma ajuda pra complementar a renda.

“Isso é uma oportunidade a todas as outras mulheres que tem aquele medo e aquele receio de andar em um outro carro, por outro aplicativo. Veio de uma forma de empoderar as mulheres”, salientou a motorista de aplicativo Rosani.

Varginha (MG) conta com aplicativo de transporte específico para mulheres — Foto: Reprodução/EPTV
Varginha (MG) conta com aplicativo de transporte específico para mulheres — Foto: Reprodução/EPTV

FONTE: EPTV

Translate »
WhatsApp chat