Fábricas na China retomam operações enquanto mundo pisa no freio

Enquanto grande parte da produção mundial está paralisada por conta do coronavírus, a China lentamente retoma operações de fábricas e alguns voos.

A recuperação da segunda maior economia do mundo pode proporcionar certo alívio para fabricantes globais nos próximos meses enquanto o surto continua a causar estragos na Europa, Estados Unidos, Índia e América Latina.

Pessoas voltam ao trabalho, linhas de produção começam a operar e até Wuhan, o epicentro original do surto, vai encerrar o bloqueio em breve. As vendas de carros na China devem ter atingido um piso no mês passado e começa a se recuperar gradualmente com a contenção do vírus e compras dos consumidores, disse uma associação do setor automotivo este mês.

“Indicadores em tempo real mostram que a China está reiniciando o complexo industrial”, disseram analistas do Sanford C. Bernstein em relatório divulgado na terça-feira. “Claramente, o reinício está em estágio inicial, mas as coisas melhoram gradualmente”.

Dados divulgados na quarta-feira mostraram que as vendas de carros na China, o maior mercado do mundo, aumentaram na comparação semanal desde o início de fevereiro. Embora as vendas da semana passada ainda mostram queda de 40% em relação ao ano anterior, o número se compara à baixa de 96% no mês passado, de acordo com dados da Associação de Carros de Passageiros da China.

No mercado de aviação, que encolheu ao ponto de ficar atrás de Portugal em tamanho devido à crise no mês passado, companhias aéreas lentamente retomam os voos. A capacidade programada aumentou 2,4% na semana passada em relação aos sete dias anteriores, para 9,2 milhões de assentos, enquanto todos os outros 10 principais mercados do mundo continuaram em declínio, de acordo com a empresa de análise de dados de voo OAG Aviation Worldwide.

Outros sinais incluem o tráfego de metrô chinês, com aumento de 21% na semana passada, e a recuperação das vendas online de grandes eletrodomésticos tanto em volumes quanto em preços médios na comparação semanal, de acordo com o Bernstein.

Grande parte da China ficou fechada por várias semanas desde o fim de janeiro, depois que o governo prolongou o feriado do Ano Novo Lunar por causa do surto. Alguns exemplos da retomada de operações na China:

Fiat Chrysler
A empresa disse que as fábricas na China reiniciaram a produção sob a aprovação de governos regionais e nacionais revelantes. Mais de 90% das concessionárias e 95% da equipe da joint venture com a Guangzhou Automobile já voltou a trabalhar e as “operações gerais de fabricação e comerciais estão gradualmente retomando os negócios”, afirmou a Fiat Chrysler.

Foxconn
A Foxconn, uma importante parceira de fabricação de empresas globais como Apple e HP mostra recuperação constante. A Hon Hai Precision, unidade da Foxconn, disse nesta semana que todos funcionários sazonais já retornaram ao trabalho e mais cedo do que o previsto, um sinal de que a empresa taiwanesa está confiante na resolução do problema de falta de mão de obra e gargalos logísticos que ameaçam atrasar o fluxo de iPhones e aparelhos para os EUA e resto do mundo.

Tesla
A fábrica da Tesla na China se recuperou melhor de uma paralisação relacionada ao vírus do que muitas no setor, devido à ajuda de autoridades locais. Depois de retomar as operações em 10 de fevereiro, a fábrica – a única da Tesla fora dos EUA – superou a capacidade antes de paralisação, atingindo produção semanal de 3 mil carros, disse um representante da empresa na sexta-feira.

Fonte: UOL Bloomberg

Translate »
WhatsApp chat