Bancos e montadores estendem financiamentos e garantias de veículos em meio a pandemia

Medidas também incluem financeiras e, no caso de pagamentos, seguem orientação do Conselho Monetário Nacional

Ainda em março, quando preocupações com os danos causados à economia com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) geraram um grande debate nacional, o CMN (Conselho Monetário Nacional) emitiu regras para que os bancos brasileiros suspendessem a cobrança de até duas prestações de financiamentos de imóveis e veículos por 60 dias, a fim de que o dinheiro fosse usado pela população para bancar suas necessidades básicas.

Algumas semanas depois, a medida levou à abertura de canais de comunicação e contou até com a adesão direta de montadoras, também estendendo a garantia dos veículos. Toda a negociação exige a manutenção da taxa de juros estipulada no contrato, mas com acréscimo do período extra do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) referente ao período. Também é preciso que o cliente esteja com as prestações em dia.

A medida não representa uma anistia, mas sim uma “reprogramação”: as parcelas que não forem pagas durante o decreto de calamidade pública decorrente da pandemia serão adiadas para o fim dos contratos de financiamento. Se o seu carnê previa parcelas até março de 2021, por exemplo, e você requisitou o adiamento do pagamento de duas parcelas, fará os pagamentos até maio do ano que vem.

No Itaú, o oferecimento da vantagem vai até 16 de maio. Informações podem ser obtidas pelos canais de teleatendimento (telefone 4002-0234 nas capitais e 0800-729-0234 para as demais cidades). No Bradesco, as ofertas são negociadas pelos telefones 4002-0022 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800-570-0022 (demais cidades), sendo que havia a possibilidade de se tratar do tema também pelo aplicativo do banco.

A Caixa Econômica Federal anunciou possibilidades de renegociação em diferentes contratos –sendo que, nos habitacionais, não é possível usar a pausa caso o dinheiro do FGTS seja usado nas prestações mensais. No banco público, porém, a renegociação é possível se houver até duas prestações em atraso. Inicialmente prevista para 60 dias, a medida chegou a 90 por conta do aumento no número de casos no país nas últimas semanas.

A promessa é de atendimento às solicitações em até 48 horas, com data retroativa. Mais informações pelo WhatsApp (0800-726-8068) e no telesserviço (3004-1105 nas capitais e 0800-726 0505 nas demais cidades, digitando a opção 7), de segunda a sexta-feira, para pessoas físicas. O aplicativo da Caixa, atualizado, também prometia oferecer renegociações.

Já o Santander apresentou um hotsite para apresentar suas soluções de dívidas para os clientes, que podem também ser discutidas pelos telefones 4004-3535 (capitais e regiões metropolitanas), 0800-702-3535 (demais municípios) ou 0800-723-5007 (pessoas com deficiência auditiva e de fala). A taxa de juro será mantida e a multa, abatida, porém, o banco avisa que haverá novos valores na parcela e data de vencimento por conta da prorrogação da próxima parcela.

No Banco do Brasil, as possibilidades de renegociação de dívidas, a princípio, não envolveriam financiamentos de veículos, mas o banco prometem oferecer linhas de crédito diferenciadas a clientes. Mais informações podem ser obtidas em canais digitais como o aplicativo, site, pelo WhatsApp (61) 4001-0001 es centrais pelos telefones 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas), 0800-729-0001 (outras regiões) e 0800-729-0088 (deficientes auditivos e de fala) e agências.

Financeiras que atuam no setor também anunciaram seguir a orientação do CMN. A BV Financeira ofereceu abriu os canais de teleatendimento para abrir as renegociações. A Losango realiza o serviço por meio de sistemas remotos (Central de Relacionamento, email do Fale Conosco e Chat), assim como a Omni. A orientação é que cada cliente busque contatar sua financeira para discutir como elas seguirão as recomendações do governo.

Montadoras

A Ford anunciou que permitirá o adiamento de até três parcelas dos financiamentos de veículos da marca a contar de 31 de março, também transferindo as parcelas para o fim do contrato. A medida vale para quem está em dia com os pagamentos, sejam pessoas físicas ou jurídicas, não sendo solicitada comprovação sobre a situação de saúde ou renda, dentro do programa Ford Credit –operado pelo Bradesco Financiamentos.

Hyundai, Renault e Caoa Chery, por seus turnos, anunciaram prorrogar manutenções e garantias de veículos entre 10 de março e 30 de abril, podendo ser estendida conforme recomendações dos órgãos de Saúde –no caso da sino-brasileira, caso seja necessário rodar mais de 2 mil quilômetros com o veículo além do prazo de manutenção programada, pede-se para se contatar a montadora.

Na Fiat, a extensão por 60 dias começou a ser contada em 20 de março. Já a Citroën elevou o período para 3 meses, desde 17 de março.

FONTE: midiamax

Translate »
WhatsApp chat