PE: Sistema de compartilhamento de carros elétricos começa a funcionar

Eles não poluem o meio ambiente, ocupam menos espaço no trânsito e estarão à disposição dos recifenses a partir de hoje. O sistema de compartilhamento de automóveis elétricos Carro Leve, pioneiro no país, se inspira em exemplos que deram certo em grandes metrópoles ao redor do mundo, como Paris, Nova York e Xangai.
Ao todo serão três carros importados da China, fruto de iniciativa do Porto Digital em parceria com o governo do estado e o Ministério da Ciência e Tecnologia. Os automóveis funcionarão de forma similar ao Bike PE e podem ser retirados e devolvidos entre 7h e 19h em cinco estações localizadas nos bairros do Recife, São José, Santo Amaro e Derby.
Como são elétricos, não utilizam combustíveis fósseis para a circulação e não emitem dióxido de carbono (CO2), um dos gases responsáveis pelo efeito estufa, que seria despejado no ar recifense. Na questão da fiscalização, no entanto, os veículos são iguais aos demais que circulam na capital pernambucana. Todos são emplacados e as possíveis infrações serão creditadas aos responsáveis, por meio dos dados oferecidos no cadastro.
De acordo com o presidente do Porto Digital, Francisco Saboya, a quantidade de veículos pode ser expandida contando com o apoio de empresas interessadas em se associar ao projeto. “Esperamos que, com a consolidação da ideia, a inciativa privada e o poder público vejam o valor mercadológico da iniciativa e resolvam expandi-la, como aconteceu com as bicicletas compartilhadas, que também começaram como projeto piloto”, aponta.
Para poder ter acesso aos carros, o usuário deve baixar o aplicativo do Porto Leve e efetuar o cadastro. Com o procedimento online realizado, é preciso efetuar o cadastramento presencial uma única vez na garagem da empresa Serttel, parceira do Porto Digital no projeto. “Os carros são veículos que envolvem mais riscos, então é necessário esse primeiro encontro cara a cara. No local também será realizada uma espécie de test-drive para o usuário”, explica Cidinha Gouveia, gerente de Projetos do Porto Digital.
Por meio do aplicativo o usuário pode informar a estação em que está e oferecer a coarona para outro usuário. Ao fazer isso, o custo dos 30 minutos de locomoção é reduzido de R$ 20 para R$ 10. Caso a pessoa interessada não apareça na estação dentro de 15 minutos, quem liberou o carro pode seguir sozinho. Caso a pessoa chegue ao local, o custo da viagem é dividido e fica em R$ 5 pela meia hora. “É uma forma de incentivar a dividir o carro para, quem sabe, modificar essa cultura de andar sozinho”, explica Cidinha.
Lançado em dezembro de 2014, o sistema de partilha realizou testes com 20 usuários. Foram mais de mil quilômetros percorridos em cerca de 930 viagens, numa média de cinco deslocamentos diários. Nos testes, o tempo médio de duração de cada viagem foi de 15 minutos. A previsão inicial de disponibilidade ao público estava prevista para março. Diante da dificuldade para encontrar empresas de seguro que contemplam a iniciativa, o início acabou sendo adiado.
A próxima fase do projeto é a instalação de totens nas estações para a recarga dos automóveis. Por enquanto, elas serão feitas na sede da Serttel. “Ainda não há previsão, dependemos, entre outras coisas, de um entendimento com a prefeitura para o fornecimento de energia nas estações”, afirma Cidinha Gouveia.
O lançamento oficial do início da operação do serviço será hoje às 11h, na sede da aceleradora de empresas do Porto Digital, Jump Brasil.
Por João Vitor Pascoal, do Diario de Pernambuco.

Translate »