Localiza mantém expectativa positiva

A empresa de aluguel de veículos e gestão de frotas Localiza registrou, nos três primeiros meses do ano, avanço de 19,1% no lucro líquido em relação ao mesmo período do ano passado ao totalizar R$ 105,8 milhões. O resultado foi melhor que o esperado pela equipe de análise da XP Investimentos que estimava lucro de R$ 91 milhões.
O crescimento no lucro foi influenciado em parte pela menor depreciação de carros, além do aumento de 14,7% na geração de caixa medida pelo Ebitda, que totalizou R$ 249,1 milhões no trimestre. Segundo a empresa, um aumento na taxa de utilização no segmento de aluguel de veículos permitiu a redução das despesas com depreciação.
Rentabilidade
“A otimização da frota permitiu grande aumento da taxa de utilização da divisão de aluguel de carros, que passou de 66,6% no primeiro trimestre de 2013 para 72,2% no primeiro trimestre de 2014. O aumento da taxa de utilização resulta em menores despesas de depreciação, despesas financeiras e outras”, disse a empresa.
Durante teleconferência, o diretor financeiro da companhia, Roberto Mendes, voltou a ressaltar que o foco da Localiza segue voltado para a rentabilidade da companhia e para os indicadores de margens.
A receita líquida trimestral de R$ 945,1 milhões reportada pela companhia, com aumento de 19,1%, bateu o cenário traçado pelos três bancos, cuja média de projeções apontava R$ 938,9 milhões.
“No ano passado preparamos bastante a companhia para melhorar a produtividade e rever gastos, e agora estamos colhendo os frutos”, disse Mendes.
Taxa de ocupação
A Localiza quer manter a taxa de ocupação dos veículos acima dos 70% para sustentar o retorno sobre o capital investido medido por meio do retorno sobre o patrimônio (Roic), disse Mendes, durante a teleconferência. “A taxa acima de 70% é sustentável”, afirmou o executivo. A taxa de ocupação da Localiza entre janeiro e março atingiu 72,2%, ante 66,6% no mesmo período de 2013.
Para manter essa taxa de ocupação acima de 70%, a Localiza será conservadora na aquisição de veículos para atender à demanda da Copa do Mundo, disse Mendes. O executivo afirmou que deve haver uma substituição do cliente corporativo, que vai adiar compromissos durante o torneio da Fifa, pelo viajante de lazer.
Por isso, não deve ser necessário um acréscimo da frota, hoje em 96,65 mil veículos. “Não podemos comprar carros em excesso porque corremos o risco de ficar estacionados. Nós podemos eventualmente postergar a renovação de frota ou antecipar compras”, afirmou.
No primeiro trimestre deste ano a Localiza apresentou Roic de 18,9%, 2,4 pontos percentuais acima do patamar apurado entre janeiro e março de 2013. Esse retorno é 11,3 pontos percentuais superior ao custo da dívida após impostos, que é de 7,6% — contra 6% um ano atrás.
Segmentos
A receita líquida da Divisão de Aluguel de Carros apresentou crescimento de 9,9%, em função do crescimento de 10,1% no volume de diárias e de 1,3% no valor da diária média quando comparada ao mesmo período do ano passado, parcialmente compensada pelo aumento da alíquota efetiva de impostos sobre receita.
Na divisão de Gestão de Frotas, houve redução de 4,3% no volume de diárias foi compensada pelo aumento de 5,7% no valor da diária média, resultando num crescimento de 1% na receita líquida do segmento em relação ao ano passado.
Agências próprias
No primeiro trimestre de 2014 a rede de agências próprias foi ampliada em 15 agências, passando de 286 em 31/12/2013 para 301. Esse aumento se deu por meio da transferência de agências franqueadas. O número de agências no final do trimestre era de 540, sendo 477 no Brasil e 63 em outros 8 países da América do Sul.
O segmento de seminovos apresentou crescimento de 33,5% no primeiro semestre em comparação ao mesmo período do ano passado. O forte aumento se deu pelo aumento no volume de carros vendidos, que subiu para 34,9%, e ao aumento de 1,1% no preço médio dos carros vendidos. Porém, no mesmo período, o volume de venda dos carros foi menor, em razão do atraso da entrega de carros pelas montadoras.
A empresa propôs para deliberação em Assembléia Geral Ordinária, a ser realizada no próximo dia 29, a destinação de R$ 38,6 milhões para pagamento de dividendos, de forma a complementar o dividendo de 25% sobre o lucro ajustado. A proposta é que o pagamento seja realizado no dia 16/05, com base na posição acionária de 30 de abril.
Aluguel de carros surpreende
Segundo a equipe de análise da XP Investimentos, o resultado foi positivo. Para o analista Celson Placido, que assina o relatório, “o que surpreendeu positivamente foi o resultado do aluguel de carros, onde a margem Ebitda e a receita apresentaram resultados acima do esperado”.
“A Localiza apresentou sólidos resultados para o primeiro trimestre, mostrando recuperação no ritmo de expansão no segmento de aluguel de veículos após alguns trimestres de baixo crescimento”, aponta o analista do Deutsche Bank, Bernardo Carneiro, em relatório.
“Esse crescimento acima do esperado em aluguel de carros compensou o fraco desempenho em terceirização de frotas”, disse Carneiro, a respeito do avanço de 1% do segmento corporativo.
O primeiro trimestre de 2014 da Localiza veio além das expectativas do mercado. Segundo avaliação dos analistas Mário Bernardes Junior e Gabriela Cortez, do BB Investimentos. Isso porque, “mesmo num cenário de concorrência acirrada, a empresa conseguiu aumentar sua receita líquida consolidada em 19,1% A/A.
A análise coloca como destaque do período, a receita líquida de venda dos carros para renovação de frota, que apresentou avanço de 33,5%, chegando a R$ 485,8 milhões. O número de diárias no primeiro trimestre subiu de 3,4 mil para 3,8 mil, acréscimo de 10,1% com relação ao mesmo período em 2013. A taxa de utilização da frota também apresentou crescimento de 5,6 p.p. saindo de 66,6% em 2013 para 72,2% em 2014.
Para os analistas do BB Investimentos, ponto negativo ficou com a divisão de Gestão de Frotas. “A empresa apresentou uma redução de 4,3% no número de diárias comparado ao mesmo trimestre de 2013, resultado do acirramento da concorrência do setor. A margem ficou em 62,0%, (-3,9 p.p. A/A), devido ao aumento de volume e da idade média da frota, ocasionando maiores gastos com manutenção e custos de preparação para venda; além de aumento de custos com IPVA. Apesar disso, a receita líquida foi 1,0% maior que o mesmo período de 2013, alcançando R$ 143,2 milhões”, ressaltaram.
Do Monitor Mercantil.

Translate »