Governo estuda injetar R$ 5 bi para financiar veículos

moeda

O governo estuda injetar R$ 5 bilhões para financiar a aquisição de carros novos e esvaziar o pátio das montadoras, segundo informações publicadas pelo jornal Folha de S.Paulo. O setor de automóveis vive crise decorrente nas exportações e nas vendas no Brasil, com corte de produção e ameaças de demissões, diz o jornal.
De acordo com a publicação, a ideia do governo é utilizar parte do compulsório, dinheiro que os bancos são obrigados a reter no Banco Central, e direcioná-lo para que os bancos e montadoras ampliem seus empréstimos. A maior parte das montadoras é dona de instituições financeiras, que respondem por 60% do crédito para veículos novos.
Conforme o presidente do Conselho Nacional da ABLA, Paulo Nemer, é preciso ter cautela diante de notícias que falam sobre a ideia de crédito fácil e barato para automóveis. “O papel dos bancos das montadoras e bancos parceiros nessa engrenagem será fundamental, como é em todo o mundo”, explica. “A globalização chegou ao Brasil e, assim, as práticas internacionais e as taxas globais precisam chegar também”.
Conforme Nemer, a ABLA está trabalhando para aumentar a parceria das montadoras com o setor. “O setor de aluguel de veículos traz muitas oportunidades para as montadoras e o aproveitamento delas reflete diretamente em aumento de participação de mercado pela montadora”, acrescenta.
Segundo a Folha, a injeção de recursos seria feita por meio da compra de carteiras de crédito. Os grandes bancos colocariam dinheiro do compulsório em um fundo de investimento, que compra a carteira do banco de montadora. A operação liberaria até R$ 1 bilhão por mês durante cinco meses, o que representa alta de 13% na oferta. O devedor continua a pagar a prestação no banco em que pegou o dinheiro, que repassa o recurso para o fundo.
 
Fontes: Folha de S. Paulo e ABLA.

Translate »