Governo do Paraná vai alugar 200 carros para a Polícia Militar

O governo do Paraná realizou nesta terça-feira (12) um pregão para alugar 200 carros que devem ser usados pela Polícia Militar. Os veículos vão reforçar a frota que atende a Região Metropolitana de Curitiba, incluindo a capital. O contrato prevê gastos de R$ 7,33 milhões ao ano.
O contrato será feito pouco mais de um ano após o governo do estado contratar a empresa JMK para cuidar da gestão de manutenções da frota estadual. Para o secretário de Segurança Pública, Wagner Mesquita, esse problema acaba retirando policiais das ruas e piorando o atendimento à população. “Nós temos hoje, em média, 30% da frota parada, o que já gera um grande prejuízo operacional na presença policial e na atividade, principalmente, da Polícia Militar”, diz.
Mesquita acredita que o modelo de gestão de frotas atual não dá conta da demanda. “A centralização trouxe uma série de problemas, porque a empresa que ganhou o certame, ela tem o contrato com o estado, mas infelizmente ela não tem tido capacidade operacional de cumprir com as obrigações que ela tem com o estado”, afirma.
Os novos carros alugados devem ser entregues com todo o grafismo que identifica as viaturas da Polícia Militar, além rádios comunicadores, sistema de localização e garantia da empresa vencedora de repor cada veículo que apresente problemas.
Em nota, o Departamento de Transporte Oficial do Paraná (Deto) informou que é preciso considerar que cerca de 30% da frota da segurança pública tem mais de 10 anos de uso e somente 3% têm menos de três anos. Segundo o Deto, os veículos que atendem a segurança trabalham em uso severo.
A JMK, por nota, afirmou que o sistema de gerenciamento de frota está funcionando com transparência e gerando grande economia ao estado. Conforme a empresa, eventuais e pontuais casos que levem mais tempo para serem resolvidos podem ocorrer devido à complexidade dos reparos e do controle efetivo de toda a manutenção.
Leia a nota na íntegra:
“O trabalho de manutenção de frota realizado pela JMK para o Estado do Paraná completou em junho um ano de seu início. Depois de passar por uma fase inicial de adaptação, se encontra atualmente em pleno e efetivo curso, funcionando com transparência e gerando grande economia ao estado.
O próprio Governo do Paraná divulgou em junho números que retratam a grande economia gerada pelo novo sistema, que foi da ordem de 21,25% no primeiro ano de trabalho.
O novo sistema também gera uma grande transparência, uma vez que toda a manutenção só é realizada após uma rigorosa checagem das reais necessidades e da consulta de três orçamentos.
Eventuais e pontuais casos que levem mais tempo podem ocorrer, ou devido à complexidade dos reparos, ou devido ao controle efetivo e transparente sobre toda a manutenção.
O novo sistema, deste modo, exige e gera uma prestação de contas completa de todos os reparos”.
Do G1.

Translate »