Ford: Um legado em expansão no setor de aluguel de carros

Revista Sindloc conversa com Márcio Pereira, Gerente Regional da Ford em Minas Gerais, para saber como anda a herança de Henry Ford no Brasil
Ela tardou a chegar ao mercado de locação de automóveis e, em uma situação assim, seria normal que gerasse desconfiança por parte do empresariado. Não foi o que aconteceu. Talvez pelo nome e legado da empresa, a companhia foi recebida de braços abertos e hoje, apenas três anos após anunciar investimentos no setor, já é uma das mais lembradas e presentes nas frotas das empresas de aluguel de carros pelo Brasil. Esse é o retrato da Ford Motor Company.
Seu primeiro expressivo salto em direção ao mercado foi um contrato assinado em julho de 2010 com a Localiza. Seis mil carros foram vendidos. Os modelos foram Fiesta, EcoSport, Focus, Fusion e Ranger. Na época, sua participação no setor era de 3,92%. Segundo o Anuário da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis – Abla, em 2012, a Ford passou para a quarta colocada no ranking e chegou aos 6,32% da participação de vendas do setor.
Desde 2010, a Ford tornou-se parceira do Sindicato das Empresas Locadoras de Automóveis do Estado de Minas Gerais – SINDLOC-MG, e se fez presente nos dois Grandes Encontros do SINDLOC-MG que aconteceram de lá pra cá. Para falar um pouco mais sobre essa união, cada vez mais fortalecida, sobre a marca e os planos no segmento, a equipe de reportagem da Revista Sindloc conversou com o Gerente Regional da Ford em Minas Gerais, Márcio Rogério Pereira.
Revista Sindloc – Márcio Pereira, em julho deste ano Henry Ford completaria 150 anos. O que ainda existe dele na Ford do Brasil atualmente?
Márcio Pereira – O legado de uma marca! Henry Ford sempre será lembrado como um ícone da indústria mundial devido aos seus atos inovadores de produtividade, modernidade e eficiência. Neste mesmo sentido, a atual Ford Motor Company ainda permanece inovando em seus produtos e serviços em uma constante busca pela excelência no trato com nossos clientes.
RS – Atualmente, dois assuntos se reviram na mídia automobilística brasileira. O primeiro é a questão da segurança. Os veículos da Ford são seguros? Isso é uma preocupação da montadora?
MP – Realmente o mercado e a legislação brasileira, de forma muito correta, estão definitivamente sendo mais exigentes quanto à segurança dos clientes. Isto é excelente para todos. Itens como airbag e ABS somente existiam em carros de luxo ou importados. Os veículos Ford, já na concepção de seus projetos (fase inicial) passam por considerações dos mais exigentes padrões mundiais de segurança, resultando no reconhecimento da mídia especializada. Podemos citar o New Fiesta Hatch, nosso último lançamento, onde o Latin NCap (braço para a América Latina da organização europeia que promove testes independentes de segurança com carros ao redor do mundo), divulgou que o New Fiesta (dentre oito outros modelos de diversas marcas) atingiu (junto com outro modelo) o melhor nível de avaliação dos testes de impacto. Além disto, o item segurança está nos pilares da marca Ford, comprovando nosso compromisso e preocupação com os clientes.
RS – Outro tema é preço. O Brasil é um dos países mais caros do mundo em valores de automóveis. A que você credita isso?
MP – Nossa carga tributária ainda é alta e consequentemente isto reflete nos preços dos produtos. O Governo está trabalhando conjuntamente com as entidades do setor em projetos para incentivar investimentos na modernização da indústria brasileira através de incentivos fiscais e isto nos dá uma excelente perspectiva de preços mais competitivos para o consumidor brasileiro.
RS – Falando do nosso setor. Segundo a opinião dos empresários, a chegada da Ford ao mercado de aluguel de carro é tardia, mas vem se dando de forma gradativa e forte. Por que se aproximar do segmento de locação?
MP – Realmente, em 2010 foi quando intensificamos nosso foco nas locadoras e frotistas. Saliento que o SINDLOC-MG foi uma peça fundamental no desenvolvimento deste trabalho, e graças ao esforço conjunto conseguimos consolidar excelentes parcerias comerciais com seus associados. Principalmente aqui no Estado de Minas Gerais, onde o segmento de vendas para locadoras é muito forte. Outro ponto importante é que quando algum cliente aluga um automóvel Ford em determinada locadora, este passa a experimentar nosso veículo, isto é uma ação de test-drive! Muito importante para nós!
RS – Os empresários do segmento de aluguel de carro têm algum benefício em comprar um automóvel Ford?
MP – Sim! O empresário associado do SINDLOC-MG que demonstrar interesse em adquirir nossos veículos é só procurar um distribuidor Ford e solicitar uma cotação. Possuímos, em nosso regional, a estrutura necessária para orientar o distribuidor a viabilizar o negócio.
RS – Existem ações (planos) futuros para atingir e melhorar seus números no mercado de locação?
MP – Nosso plano é continuar com o trabalho de prospecção de novos clientes! Queremos consolidar novas parcerias de longo prazo. Além da estrutura regional, possuímos uma área específica em São Bernardo do Campo para nos ajudar a viabilizar novos negócios.
RS – A Ford pretende investir em carros elétricos? Por quê?
MP – Um de nossos pilares da marca Ford é a sustentabilidade. Faz parte de nossa filosofia de trabalho a busca constante pela preservação e melhor aproveitamento dos recursos naturais. Nos Estados Unidos já possuímos veículos 100% elétricos tal como o Focus Eletric. Aqui no Brasil, com muita satisfação, estamos lançando o Novo Fusion Hybrid, o qual possui a tecnologia de propulsão através do funcionamento alternado entre motor elétrico e de combustão. A Ford foi a primeira montadora a lançar um veículo Full Hybrid no mercado brasileiro, entregando desempenho de um grande sedan de luxo com baixíssimo consumo de combustível. Sucesso absoluto de venda nos Estados Unidos com mais de 37 mil unidades vendidas no primeiro semestre de 2013. O Novo Fusion Hybrid desembarca no Brasil com o objetivo de oferecer aos clientes uma experiência completamente inovadora em termos de luxo e da sustentabilidade em um veículo de passeio.
Por Leandro Lopes, da Revista Sindloc-MG.

Translate »