Faturamento de locadoras de veículos cresce 4,73%

Foto_ABLA_Panrotas-300x166

De PANROTAS

A Abla (Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis) lançou hoje, dia 8, o anuário com os dados do setor durante o ano passado. Entre os dados destacados está o crescimento do faturamento das empresas associadas, que atingiu os 4,73% com relação a 2012 e fechou o último ano com receita de R$ 6,52 bilhões. O turismo foi responsável por 42% dos negócios do setor (23% negócios e 19% lazer), enquanto os 58% restantes são resultado de terceirização de frotas.

A idade da frota foi o dado que menos sofreu variação entre 2012 e 2013, passando de 18 meses para 17,5 meses, em média. No período, a frota brasileira de automóveis para locação cresceu pouco mais de 8% e encerrou 2013 com aproximadamente 530 mil veículos. Durante todo o ano passado, as locadoras de veículos foram responsáveis por quase 9% (cerca de 350 mil veículos) do total de vendas registradas pelas montadoras de automóveis de todo País.
“Em 2013, nosso setor comprou cerca 350 mil carros e poderíamos ter comprado muito mais caso as condições de financiamento fossem mais apropriadas”, disse o diretor de Relações Institucionais daAbla, Paulo Gaba. Segundo ele, quanto melhores as condições de financiamento, maior poderá ser a renovação da frota, diminuindo a idade média dos veículos e aumentando as compras realizadas pelas locadoras.
Copa Do Mundo
Ao contrário do que se vê entre no mercado aéreo e hoteleiro, o setor de locação de automóveis acredita que a Copa do Mundo trará pouquíssimas mudanças aos padrões do mercado já existentes. AAbla aponta que a competição trará mais locações diárias, especifica para o evento, mas em contrapartida, irá prejudicar os negócios de terceirização da frota.
Segundo Gaba, a expectativa do setor é que haja uma neutralidade entre as perdas e ganhos que o Mundial trará. “Os grandes eventos pouco mudam o panorama do nosso mercado. Para nós é importante que o País cresça para que possamos crescer juntos. Temos crescido constantemente bem acima do PIB, mas com este índice baixo nos últimos anos, nossa taxa de crescimento também tem diminuído”, concluiu.
Na foto: Paulo Gaba, diretor de Relações Institucionais; Paulo Nemer, presidente do Conselho; e João Cláudio Bourg, presidente executivo da ABLA
 
Fonte: ABLA

Translate »