Empreendedores vão além das limitações físicas e criam oportunidades de negócios

gee_0742-454855

Locadora de carros adaptados Adapta Drive é aposta de Gustavo Wapler, que sofreu uma lesão medular em 2011Foto: ANTONIO PAZ/JC

Pessoas que vão além de limitações físicas para criar oportunidades de negócios

Da paixão de Gustavo Wapler, 31 anos, por automóveis, nasceu a Adapta Drive. A ideia de ter uma empresa de locação de carros adaptados veio quando o seu veículo estragou e o seguro, que garantia um reserva, não tinha modelos disponíveis. Wapler, que tem tetraparesia espástica (evolução de uma lesão medular sofrida ao pular em uma piscina, em 2010), se viu, então, desafiado a empreender.
O acidente comprometeu seus movimentos, e, por isso, o carro de Wapler é todo adaptado às novas necessidades. O volante tem design diferenciado e os comandos de freio e acelerador são nas mãos.
A unidade que vai estrear a frota da Adapta encontra-se em fase de finalização. Wapler e a irmã e sócia, Luiza, querem usá-la em parceria com as locadoras. Segundo eles, em Porto Alegre, atualmente, só existe um carro adaptado disponível para locação. E, ainda assim, afirmam, a opção não tem uma amplitude de recursos.
Esse mercado se abriu depois de entrar em vigência, em 2015, o Estatuto da Pessoa com Deficiência, que submete às locadoras a obrigatoriedade de ter um carro adaptado a cada 20 veículos. “Queremos trabalhar em parceria para ajudá-las a cumprir a lei”, reforça Luiza. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6,2% da população porta algum tipo de deficiência.
Filho e neto de corredores de rallye, Wapler sempre habitou o universo automobilístico. Assim, o conhecimento por carros e direção virou trabalho.
Na Adapta, ele também presta consultoria para pessoas com necessidades especiais interessadas em voltar a dirigir e a quem tenha se lesionado antes de tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
O serviço surgiu porque, na primeira vez em que Wapler foi ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) sob a nova condição física, o deram como inapto. Depois de ouvir isso, começou a praticar muitos exercícios e, agora, não usa mais cadeira de rodas e é capaz de fazer tudo sozinho, com a ajuda de muletas.
“Com lesão medular, tem que ter uma vida de atleta”, explica ele, que faz três horas de fisioterapia diárias. Disponibilizar acompanhamento de musculação, aliás, é um desdobramento de serviços para a empresa. “É outra coisa poder se tornar independente”, diz Wapler. O maior diferencial que a Adapta traz está totalmente atrelado à trajetória do empreendedor, que é o know-how das dificuldades enfrentadas por quem é deficiente físico.
>> Startup Garagem
Para Gustavo e Luiza Wapler, a participação no Startup Garagem foi importante porque ajudou a preencher as lacunas do negócio. “Tentam destruir a tua ideia de todos os modos. É muito bom por isso”, reflexiona Gustavo. À espera do primeiro carro adaptado, se diz ansioso para botar a empresa em prática.
Translate »