Câmara de Joinville (SC) terceiriza frota de veículos

Camara-de-Vereadores-Joinville-300x225

 
Como já é tradicional, foi aberta a licitação para a contratação de empresa para fornecer, por aluguel, 20 carros para a Câmara de Vereadores de Joinville. O edital, que foi lançado no fim do ano passado, prevê que sejam gastos até R$ 411 mil para 11 meses de locação – começa em fevereiro e vai até o fim do ano. Como é licitação, que leva em conta o menor preço, o custo ficará abaixo do orçado.
São solicitados três tipos de veículos pelo Legislativo. Em um item, são pedidos 18 carros ao custo unitário de até R$ 1,7 mil, que podem ser Siena, Palio Weekend, Logan, Voyage, Cobalt, Versa ou Prisma.
Conforme avaliação da ABLA, a opção pelo aluguel feita pela Câmara de Vereadores preservará significativamente os cofres públicos. A decisão vai gerar economia ao município, se comparada à opção de compra de uma frota própria. Ao ter escolhido a locação, o Legislativo de Joinville mostrou que fez os cálculos e estudos corretos, comparando os custos e benefícios em relação ao aluguel de uma frota. “O conceito de terceirização já é consagrado na área empresarial e difundido também no setor público, que passou a perceber que é mais inteligente e mais barato pagar pelo uso do que pagar pela propriedade”, afirma Paulo Nemer, Presidente do Conselho Nacional da ABLA.
Os custos com aluguel de automóveis são inferiores quando comparados ao volume de investimentos necessários para comprar e manter uma frota própria. Para chegar a essa conclusão, a ABLA leva em conta no cálculo não somente a depreciação dos veículos, como também os gastos com manutenção preventiva e corretiva, custos com carros reservas, com licenciamento e seguro e também custos administrativos e de pessoal para gerenciar os veículos próprios.
Transparência
Ao optar pela terceirização, além de transferir para as locadoras de automóveis tais custos e responsabilidades, quem aluga tem a certeza de que terá veículos sempre renovados periodicamente, “sem ter de, para isso, gastar tempo, dinheiro e pessoal com renovação, licenciamentos e contratação de seguros”, reforça Nemer, da ABLA.
A ABLA assinala que a decisão da Câmara de Joinville vai ao encontro da tendência verificada entre diversos órgãos públicos, que cada vez mais optam pela terceirização de suas frotas como forma de aumentar a transparência e melhor gerir os recursos destinados à necessária aparelhagem do Poder Público. “Há diversas e inúmeras empresas e órgãos públicos em todo o Brasil, assim como a Polícia Militar de vários Estados, que já trabalham com frotas e viaturas terceirizadas”, completa o presidente do Conselho Nacional da ABLA.
Em Joinville, o resultado do processo sairá até o fim de janeiro.
 
Fontes: Zero Hora e ABLA

Translate »