10 razões para você não alugar seu veículo particular

27032015-aluguelCarro
Compartilhar parece ser a palavra de ordem (e uma armadilha) em um mundo cada vez mais conectado. Fala-se em dividir tudo, de posts nas redes sociais até veículos. Mas se até dividir o quarto com seu irmão é uma tarefa difícil, ou um apartamento no período da faculdade com amigos, como conseguir dividir seu carro com um desconhecido?
Recentemente alguns aplicativos ou sites têm tentado conquistar adeptos do desapego (outra palavra de ordem atual) para que eles aluguem seus carros para desconhecidos a preços baixíssimos, com a promessa de conquistas financeiras a longo prazo e discurso de que se o seu carro está parado enquanto você trabalha ou viaja, por que não alugá-lo?
A partir dessa questão, a equipe de reportagem da Revista SINDLOC-MG ouviu empresários sobre os riscos desse negócio e mostra 10 razões para você não alugar seu veículo particular.
1. Ter um veículo particular já é uma furada
Não precisa ser doutor em matemática para saber que ter um veículo particular hoje já é sair no prejuízo. Estudos mostram que saber calcular uso do transporte público com táxis e aluguel de veículos (de locadoras, claro) é muito mais barato do que ter um carro. Portanto, se você usa pouco seu automóvel é melhor vendê-lo do que arriscar com aluguéis particulares.
2. Faça conta dos pneus
Se você acha que com R$ 5 por hora você vai ficar rico, basta fazer outra pequena conta. Digamos que você alugue seu carro 10 horas por semana. Isso lhe renderia R$ 200 ao mês ou R$ 2.400 ao ano. Digamos que nessas 10 horas, seus “clientes” rodem 600 km por semana. Isso daria 2.400 km por mês ou 28.800 km por ano. Isso quer dizer que seus “clientes” gastaram 90% do uso dos seus pneus. A recomendação da Organização Mundial de Saúde é que se troquem os pneus a cada 30 mil km rodados. Ou seja, em 12 meses você já precisará trocar os pneus e isso lhe custará, pelo menos, R$ 900.
3. Faça conta dos óleos
Mantendo os mesmos dados acima, é preciso lembrar que pelo menos 5 ou 6 trocas de óleos e filtros serão feitas. Coloca na ponta do lápis mais R$ 1.200. E podemos parar por aqui para mostrar que em 12 meses, com seus clientes rodando 30 mil km por ano, você ganhou R$ 2.400,00 e gastou R$ 2.100,00.
4. Desgaste
Quase todos os empresários que responderam ao questionário da equipe de reportagem falaram em desgaste. Eles sabem bem o que um “cliente” com um carro alugado é capaz de fazer. De cantadas de pneus constantes até cavalo de paus e pegas em zonas urbanas.
5. Multas
Outra questão levantada por eles é um dos maiores problemas cotidianos das locadoras de automóveis. É para a conta das locadoras que vão as multas de trânsito dos “clientes”. Não importa o que se diga, os Departamentos de Trânsito responsabilizam as empresas proprietárias dos automóveis pelas infrações e isso acontecerá também com você, proprietário do veículo.
6. Roubos e Furtos
Cotidianamente locadoras são vítimas de roubos e furtos de veículos. Boa parte das ocorrências se dá por estelionatários que alugam carros com documentação falsa e desaparece. Se isso é rotina nas empresas, com departamentos jurídicos, contábeis e experiência, imagina como será com você?
7. Seu carro pode voltar, mas ele pode não ser o mesmo
Alguns empresários lembraram da frequente troca de peças. Isso mesmo! Alguns “clientes” devolvem, aparentemente, seu automóvel em ótimo estado e só depois você descobre que as peças já não são mais as mesmas.
8. Seu carro pode ser usado para assaltos
É comum que um empresário precise passar pela seguinte situação: um dia a polícia liga para a locadora avisando ter encontrado um dos carros da empresa abandonado, sendo que horas antes ele teria sido usado para um assalto. Pense nisso!
9. Você pode responder criminalmente
Se o seu “cliente” alugar seu carro e atropelar alguém, você poderá responder por isso, sobretudo, se o motorista não prestar os devidos socorros. Isso acontece com as locadoras de carros.
10. Seu seguro não está de acordo
A décima e última razão: seu seguro não cobrirá eventuais sinistros quando descobrir que você aluga o seu automóvel.
Por Leandro Lopes, da Revista SINDLOC-MG.

Translate »