Tesla vai produzir caminhões e ônibus elétricos

Elon Musk, sulafricano CEO e fundador da Tesla, fabricante de automóveis elétricos americana, anunciou nesta quinta-feira (21) o segundo plano diretor (ou Master Plan, em inglês) da companhia. De acordo com a intenção de Musk, a Tesla vai investir pesado para entrar no segmento de transporte de carga e de pessoas nos próximos anos. As informações são do site Carscoops.
Até agora, os planos de Musk têm se concretizado. A primeira parte do plano diretor da companhia, anunciado há uma década, previa que a Tesla criaria um carro esportivo conversível (o Roadster) e usaria os lucros do produto para criar um carro de médio volume de vendas (o Model S) e, então, usaria o capital angariado pela novidade para criar um terceiro modelo, desta vez voltado à atender “as massas” (o futuro Model 3). Neste ínterim, a empresa ainda deu início à construção de sua fábrica de baterias nos EUA, criou um SUV médio (o Model X) e adquiriu uma companhia de paineis captadores de energia solar.
Vislumbrando um futuro no qual 500 mil veículos sairão de suas linhas de produção em 2020, Musk já prevê que nos próximos dez anos a Tesla irá revolucionar o mercado de transporte de carga. Segundo Musk, a fabricante vai lançar “um novo tipo de picape”, que, provavelmente, será o primeiro veículo pesado movido somente por eletricidade.
Dentro do escopo de pesados, Musk pretende desenvolver outros modelos para carga pesada (caminhões) e veículos de alta desindade para transporte de pessoas (ônibus). A Tesla ainda deverá ampliar seu portfólio de automóveis de passeio, penetrando em novos segmentos (incluindo o que mais cresce no mundo, o dos utilitários compactos). Tudo isso movido por baterias e motores elétricos. Os planos deverão ser apresentados com mais detalhes durante um seminário da companhia no ano que vem.
Além das inovações em produtos, o empresário sulafricano parece não ter se abalado com os recentes casos de acidentes envolvendo o sistema de piloto automático da companhia (e que culminaram em investigações por parte das autoridades de segurança viária americanas). Musk quer se tornar líder na tecnologia autônoma e já diz que quando os governos autorizarem completamente os testes com veículos autônomos serão necessários mais de 9 bilhões de quilômetros de testes para consolidar a utilização da tecnologia. Atualmente, o Autopilot da Tesla, em sua versão beta (ou “em desenvolvimento”), já percorreu quase 5 milhões de quilômetros.
A meta de Musk é retirar a condição “Beta” de seu programa autônomo quando o sistema for objetivamente classificado como 10 vezes mais seguro do que um motorista humano no comando do veículo.
Também dentro do segundo plano diretor da Tesla está a amplicação dos negócios de paineis solares (ao que tudo indica, deverão ser comercializados como um subproduto da companhia para os usuários poderem carregar seus carros em casa) e a expansão do programa de compartilhamento de carros da marca entre os proprietários e outros potenciais usuários, que poderão alugar os veículos e, assim, virar renda extra para os consumidores.
Diferentemente do primeiro Master Plan, todos estes braços de desenvolvimento estão sendo desenvolvidos concomitantemente.
Do Motorpress.

Translate »