Semana Global de Empreendedorismo destaca os desafios dos empreendedores

semana-global-empreendedorismo-2014

Com o tema “Não deixe nenhum obstáculo ser maior do que seu sonho”, a Semana Global de Empreendedorismo(SGE) 2014 começou nesta segunda-feira (17). Participam do movimento mais de 150 países, milhares de organizações e milhões de pessoas. Em 2013, o evento mobilizou no Brasil mais de 1,7 milhão de pessoas, com cerca de 4.000 atividades – o que faz da SGE brasileira a maior do mundo.
Realizada há sete anos no País, a SGE é um movimento global que aposta na causa do empreendedorismo como motor para o desenvolvimento econômico social e busca promover melhorias no ecossistema brasileiro, fortalecendo assim a cultura empreendedora.
Em São Paulo, a abertura foi marcada por uma cerimônia na sede do banco Santander, patrocinador do movimento. Um painel formado por Juliano Seabra, diretor da Endeavor no Brasil, Luiz Barretto, presidente doSebrae, Jésus Zabalza, presidente do Santander Brasil, Viviane Behar, diretora do Instituto Rede, e Carlos Henrique Pegurier, vice-presidentes de negócios e inovação da Kroton, oficializou o início da SGE.
“A vocação do brasileiro para o empreendedorismo é notória. O brasileiro sonha em ter seu próprio negócio. Queremos assumir cada vez mais o papel de fomentar o empreendedorismo. Por isso, estaremos cada vez mais próximos dos empreendedores”, afirmou Zabalza, presidente do Santander Brasil.
Empreender no Brasil é coisa de super-herói. Existem muitos obstáculos na vida de um empreendedor: o ambiente de negócios é complicado, o preparo dos empreendedores nem sempre é o melhor, o acesso a capital não é simples. Temos muito trabalho importante pela frente”, disse Seabra.
“Sem inovação e sem colocar [as pequenas e as médias empresas] no desenvolvimento, significa que o País também não irá se desenvolver”, afirmou o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. “Portanto, o sonho de montar o próprio negócio é um sonho que deve ser ajudado.”
As atividades da Semana Global do Empreendedorismo são oferecidas por pessoas e organizações que criam um ou mais eventos sobre alguma das vertentes do tema empreendedor, conectam, capacitam e inspiram o público para que as ideias sejam transformadas em iniciativas de sucesso. As atividades são gratuitas ou com preços acessíveis.
Este ano, todos os eventos da SGE contam com um abaixo-assinado para pedir a criação de uma transição doSimples Nacional, regime tributário aplicado às microempresas e negócios de pequeno porte. Conforme as empresas crescem e saem do enquadramento do sistema tributário, elas passam a pagar uma carga tributária 40% maior. Segundo a Endeavor, 62% delas tornam-se inadimplentes por não conseguirem arcar com esses custos. “Neste ano, vamos dar uma forcinha para esse movimento para que a gente possa fazer os empreendedores continuarem a crescer sem o peso extra da burocracia”, afirmou Seabra.
A Semana Global do Empreendedorismo 2014 acontece até o dia 23 de novembro. A agenda completa está disponível no site http://semanaglobal.org.br/. Os interessados em participar das atividades como público podem buscá-las de acordo com a cidade, Estado ou os temas de interesse.
Empreendedores contam os seus maiores obstáculos
Romero Rodrigues, fundador e CEO do Buscapé, Zé Aliperti, fundador e CEO da Kidu, e Arthur Rufino, diretor de marketing e desenvolvimento da JRDiesel, falaram sobre os maiores desafios que já enfrentaram como empreendedores durante a abertura da Semana Global de Empreendedorismo, em São Paulo.
“Eu buscava empreender há muito tempo. Os maiores desafios que tivemos estavam no mercado e no modelo de negócio. Fazer a roda girar foi a maior dificuldade. Em vários momentos a empresa morreu. Não tinha o que fazer. A solução mais óbvia era fechar, mas a gente nunca desistiu do sonho. E encontramos uma forma ressuscitar a empresa”, contou Rodrigues.
Para ele, todo empreendedor precisa ter consistência e resiliência. “Mas seus amigos e sua família só vão chamar de resiliência mais para frente porque, no começo, eles chamam de teimosia”, falou. “Empreender é dividir o sonho. Quanto mais gente acredita no sonho mais ele se torna possível.”
Fundador da Kidu, uma ferramenta que muda a dinâmica do aprendizado em sala de aula, Zé Aliperti contou que seu “maior desafio foi interno”. “Durante todo esse tempo, eu resisti à vontade que tinha de empreender. Empreender é uma decisão difícil. Não é fácil abrir mão do holerite. Empreender é continuar acreditando no nosso sonho quando ninguém mais acredita nele.”
“São muitos os obstáculos que os empreendedores enfrentam para realizar o seu sonho em construção. Não ter medo do que vem pela frente é muito importante. Com coragem a gente consegue muitas coisas. Tem que ir atrás”, finalizou Arthur Rufino, da JRDiesel.
 
Fonte: Portal do Empreendedor Santander
 

Translate »