Redes sociais e aplicativos ajudam consumidor na hora da compra

app

Quando o preço de um produto está igual em diversas lojas, a única forma de conseguir um bom desconto é pechinchar. Muitos consumidores têm levado essas habilidades em negociar para o comércio virtual. Com ajuda de Twitter, Facebook, aplicativos e sites de buscas, o cliente tenta driblar os custos e conquistar uma pequena vantagem.
Hoje, é possível ter no navegador do computador até plugins que avisam a pessoa que a mercadoria desejada ficou mais barata. Ainda há ferramentas, como sites e blogs que armazenam centenas de cupons de descontos para quem não quer perder tempo em economizar.
Alguns consumidores são mais atrevidos, além de pesquisarem as promoções, entram em contato com lojas pelas redes sociais. Eles “marcam” as empresas em postagens públicas no Facebook e no Twitter e chegam a convocar os estabelecimentos para participar de verdadeiras competições.
É claro que nem todas as empresas dão atenção aos consumidores na internet, mas a maioria tem notado a importância de se relacionar com o cliente por meio das mídias virtuais, oferecendo ofertas customizadas. Há sites que contam com ferramentas capazes de identificar o que o consumidor procura e lhe dá a opção de pagar menos pelo produto.
O pontofrio.com, por exemplo, criou uma ferramenta que se chama “Economizator“ e promete descontos de até 12%. Basta a pessoa curtir a página no Facebook, escolher o produto, copiar o código e colocar no site gerador de bônus. A livraria Saraiva também criou um programa para identificar as preferências do consumidor e personalizar ofertas.
O professor de Marketing da Fucape Emerson Mainardes explica que, na atualidade, mesmo as empresas que não atuam no e-commerce precisam estar na web e dialogar com o consumidor pelas redes sociais e sites.
“As pessoas vão procurar na internet informações sobre a empresa, elogios, reclamações. Um negócio que não está na internet não existe. Por isso, em alguns determinados momentos as empresas conversam com os consumidores nas redes sociais. Isso não é uma rotina, mas as empresas ficam esperando a ocasião certa para interagir com o cliente”, explica.
Novidades
Entre as ferramentas usadas pelos consumidores para buscar a loja que oferece a mercadoria mais barata estão os sites de buscas. Há empresas que estão aproveitando o nicho de mercado para criar interações com os consumidores, alertando-os sempre que o preço de algo estiver menor.
A Baixou já conta com 800 mil usuários e deve chegar a um milhão de pessoas até julho. Os Estados com mais adeptos ao programa é São Paulo (36%), Rio de Janeiro (14%) e Minas Gerais (10%).
Os irmãos Patrick e Rodrigo Nogueira, antigos donos de um blog de cupons, tinham dificuldade de monitorar na internet as lojas que mais davam vantagens para o cliente.
Então, Patrick, que é engenheiro eletricista e tem conhecimento em programação, desenvolveu um robozinho virtual que conseguiu rastrear na internet as lojas que tinham reduzido o preço de um produto.
A ideia que antes era para atender a um desejo pessoal acabou dando vida à startup Baixou. Além de ter um site, a empresa oferece um plugin que avisa ao cliente sobre a redução do preço de produtos que vão desde roupas a eletrônicos.
“A gente percebeu que era possível ver quando as lojas baixavam os preços. Então, criamos o plugin que alerta ao consumidor assim que o preço ficar menor”, explica Rodrigo Nogueira, que é um dos sócios da Baixou.
Em breve o plugin vai mostrar não só se o preço do produto caiu, mas dar informações também sobre o custo com o frete.
“As pessoas precisam de ferramentas para encontrar onde está o melhor preço. Estamos fazendo parcerias com empresas específicas, como do setor de viagens, para apresentar as passagens aéreas com maior ou menor custo”, ressaltou.
Em mais algum tempo a Baixou também permitirá o consumidor de encontrar um custo menor em serviços, como aluguel de carro e hospedagem.
As novidades do varejo na internet
Baixou
Aplicativo
É um plugin que pode ser colocado ao navegador, como o Google Chrome. Serve para alertar ao consumidor quando um produto desejado baixou de preço. Produtos como eletrônicos, cosméticos, DVDs, tênis pode ser comprados com descontos de até quase 30% ou mais.
Promoções
Personalizadas
Clientes criativos podem ser surpreendidos com um atendimento personalizado pelo Twitter. Muitas lojas respondem as demandas dos consumidores e dão até descontos para alguns clientes. Muitas empresas têm recursos disponíveis para dar algum vantagem ao cliente para ganhar mídia espontânea quando a proposta é feita de forma pública. Mas mensagens em DM também ajudam. Muitas redes varejistas, por exemplo, já usam os canais no Twitter e no Facebook para atender aos clientes.
Gerador de desconto
Customização
Algumas lojas oferecem um gerador de descontos para o consumidor que curte a página no Facebook, como por exemplo, a loja Ponto Frio. Outras lojas utilizam alguns aplicativos para identificar o que o consumidor quer e fazer uma oferta customizada, reduzindo o custo do frete e do produto.
Interação
Além da web
Algumas empresas não dão desconto, mas fazem promoções para atrair consumidores. E muitas vezes, essas empresas não atuam com e-commerce. O Shopping Boulevard, de Vila Velha, por exemplo, está com uma tendência de marketing diferente, chamada mídia socializada. O Shopping segue as pessoas nas redes sociais. De amanhã até terça-feira, o centro de compras vai ajudar, pelo WhatsApp, quem estiver com dúvida sobre qual presente comprar para o Dia dos Namorados. A ação vai funcionar da seguinte maneira: a pessoa que quiser dicas poderá enviar uma mensagem, explicando a sua dúvida e a equipe do shopping vai percorrer as lojas do Boulevard e procurar opções adequadas para o perfil. Os participantes poderão ainda ganhar um presente do shopping.
Lojas fazem duelo de oferta no Twitter para vender tênis
Pedro Tessarolo é um jovem de 19 anos que gosta de ousar nas redes sociais. Ele sempre interage com várias empresas pelo Twitter. Mas em maio deste ano ficou famoso ao lançar um desafio no microblog para duas lojas de material esportivo que são rivais no mundo virtual.
Precisando de um tênis novo para malhar, Pedro, que é de Curitiba, no Paraná, resolveu promover um duelo entre a Netshoes e Centauro.
Sem esperar que a ideia fosse funcionar, o universitário escreveu: “Netshoes e Centauro quero um tênis e vi que está o mesmo preço em ambas. Discutam entre vocês qual é a melhor pra eu comprar”, disse.
Imediatamente, a Centauro respondeu a provocação e logo depois a Netshoes cobriu a oferta.
Pedro conta que a brincadeira não foi proposital. “Eu já conversava com alguns perfis de empresas no Twitter, como Ponto Frio, o Itaú, mas nem sempre sou respondido. Nunca tinha feito nada com a Centauro nem com a Netshoes. Eu não esperava que iriam interagir assim comigo”, conta o jovem.
A disputa entre as duas lojas rendeu para o universitário um desconto de 28% no preço do produto, além do frete grátis. Muita gente não acreditou que o desafio era real. Para provar aos amigos, Pedro publicou fotos com o tênis no seu Facebook.
“Eu achei que eles podiam responder, mas não duelar. A Netshoes ofereceu a melhor proposta. O produto foi entregue em três dias em casa, por Sedex. O engraçado é que eles sempre entram por PAC (encomenda econômica), que demora 10 dias para chegar”, disse Pedro.
O jovem ainda se surpreendeu com a repercussão. Ele virou assunto de aulas de Marketing na faculdade, mas pensa em não usar a mesma estratégia para pechinchar. “A história fez muito sucesso e talvez por isso eu tenha ficado muito marcado. Foi a primeira vez que fiz esse tipo de pechincha, agora tenho que encontrar uma outra estratégia, para não parecer algo forçado”, termina Pedro, que compra de roupa a aparelhos eletrônicos pela internet.
“Briga” entre bancos também ficou famosa
A interação on-line entre empresas e consumidores tem um papel de causar uma boa impressão para uma companhia.
No ano passado, um consumidor decidiu fazer uma campanha no Twitter para escolher a instituição financeira na qual se tornaria cliente. Dois bancos entraram na brincadeira.
“Santander é um Banco manero, bom lugar p/ poupar dinheiro. Aqui vc não perde nada, escolha sua conta combinada (sic)”, iniciou a instituição financeira na batalha.
“Você pode conhecer outros bancos e tem a opção de escolher, mas lembre que só o Itaú foi feito para você”, respondeu o outro banco.
Na “tréplica”, o Santander disse: “Se é pra escolher, o Santander vai responder: Free, Flex, Light, Fit. Decida a que mais combina com você”.
O vencedor, segundo o autor da ideia, foi “a internet inteira”. Ao final da disputa o consumido disse que ia abrir a conta no Bradesco, um banco que não tinha ainda aparecido na história. Mesmo sem ganhar o cliente, o Santander agradeceu pelo jogo.
 
Fonte: Gazeta Online (ES)

Translate »