Metade das empresas brasileiras está inadimplente, revela estudo da Serasa

Da redação
Demanda por novas operações registrou queda em abril de 2015

serasa                                                                                                                          Foto: Dreamstime
São Paulo – O número de empresas inadimplentes bateu novo recorde em março deste ano, revela estudo inédito da Serasa Experian. Levantamento realizado em março de 2015 apontou que 3,8 milhões de empresas estão com dívidas em atraso.
Segundo o levantamento, atualmente são 7 milhões de companhias do cenário nacional que estão em operação. O número é superior ao verificado em setembro de 2014, quando foram registradas 3,6 milhões de empresas inadimplentes. O valor total da dívida é de mais de R$ 86,4 bilhões, uma média de R$ 22,8 mil por CNPJ negativado.
O estudo revelou ainda que entre as empresas inadimplentes, o setor mais atingido é o comércio (comércio de bebidas, vestuário, veículos e peças, eletrônicos, entre outros), com 46,3% do total. Em seguida estão as companhias de serviços (bar, restaurante, salões de beleza, turismo, entre outros), com 43,7% e indústria, com 9%.
O Sudeste é a região que concentra a maioria das empresas inadimplentes do país: 51,4%. Depois aparece o Nordeste, com 17,5%, seguido do Sul (17,1%), Centro-oeste (8,4%) e Norte (5,7%).
Demanda por crédito
Conforme apurou o Indicador de Demanda das Empresas por Crédito, houve queda de 12,3% na procura das empresas por crédito em abril na comparação com março. Também houve retração na relação com abril de 2014: variação de -1,2%. Apesar deste duplo recuo, a demanda das empresas por crédito, no acumulado do primeiro quadrimestre, registra alta de 6,9% frente ao mesmo período do ano passado.
De acordo com os economistas da Serasa Experian, a retração da procura empresarial por crédito reflete o atual quadro recessivo da economia brasileira, marcado por altas taxas de juros e baixo grau confiança de consumidores e empresários na retomada da atividade em 2015.

Fonte: DCI

Translate »