Mais de 900 metalúrgicos da GM aceitam plano para suspender contrato de trabalho

Mais de 900 metalúrgicos da General Motors (GM) de São José dos Campos (SP) decidiram aceitar o plano de lay off (suspensão do contrato de trabalho) apresentado pela montadora. A decisão foi tomada durante assembleia feita com cerca de 2.500 trabalhadores do primeiro e terceiro turnos, hoje (26), às 5h30. No início da tarde, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região consultará os trabalhadores do segundo turno, que chegam a 2 mil, de acordo com o sindicato.
Com a aprovação da suspensão do contrato de trabalho, os funcionários ficam em casa por cinco meses, mas continuam recebendo salário. Parte do vencimento (R$ 1.300,00) será paga pelo governo federal e o restante quem arca é a GM. Entretanto, os 930 funcionários que entrarão emlay off serão obrigados a fazer cursos de qualificação promovidos pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).
A suspensão coletiva do contrato de trabalho começa em 8 de setembro e termina em 7 de fevereiro. Passado esse período, os trabalhadores participantes terão seis meses de estabilidade e voltarão com direito à Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e às conquistas da campanha salarial.
O sindicato informou que é dada como certa a aprovação da proposta também pelos trabalhadores do turno da tarde. A entidade ressalta que é contra o lay off porque o último, que terminou em março de 2013, resultou em 598 demissões. A GM foi procurada, mas disse que só se pronunciará após o término da segunda assembleia de hoje.
Da Agência Brasil.

Translate »