Fortalecimento do turismo brasileiro é um dos legados deixados pelo mundial

Encerrada a fase de grupos da Copa do Mundo, a ocupação hoteleira nas cidades-sede dos jogos foi de cerca de 90% nos dias de jogos e na véspera deles. Os dados são do Fórum de Operadores Hoteleiros (FOHB).
No período entre 11 e 18 de junho, que correspondeu aos primeiros jogos da fase de grupos da Copa do Mundo, a média geral de ocupação hoteleira, nas 12 cidades-sede, segundo a FOHB, foi de 80%, com os maiores índices, ficando no Rio de Janeiro (92%) e Salvador (90%).
Na primeira etapa do campeonato, os jogos realizados na Fonte Nova trouxeram à capital baiana as torcidas da Espanha, Holanda, Alemanha e Portugal.
Na sequência, vieram Suíça, França, Bósnia e Irã. Na primeira semana de julho, Salvador registrou a forte presença de visitantes dos Estados Unidos, Bélgica, Costa Rica e o retorno da Holanda.
Além da grande movimentação nos hotéis, cerca de 70 mil turistas estrangeiros frequentaram bares, restaurantes, lojas e prestadores de serviço, fortalecendo os negócios e a economia da capital baiana.
Nesse período, com a realização da festa de São João, o total de visitantes chegou a 700 mil na Bahia.
O secretário do Turismo da Bahia, Pedro Galvão, afirma que a chamada ‘invasão’ estrangeira foi muito bem-vinda.
“Os jogos na Arena Fonte Nova trouxeram brasileiros e turistas de diversas nacionalidades, que incrementaram a economia local e ofereceram a perspectiva de crescimento futuro desse setor”, disse.
O Governo da Bahia investiu na qualificação da mão de obra, um dos maiores legados pós-copa para o turismo da Bahia.
“A Bahia conseguiu aliar a sua conhecida hospitalidade ao profissionalismo exigido pelos turistas, que vieram de todos os continentes”, assinalou o secretário.
“O resultado foi positivamente identificado em relatos sobre a satisfação e a alegria dos turistas que nos visitaram nesse período”.
Para o conforto do turista, a Setur colocou em pontos estratégicos 180 guias e monitores que prestaram atendimento, com precisão, a 56 mil turistas estrangeiros e brasileiros, sendo que a maioria atendida foi de visitantes vindos dos Estados Unidos, Alemanha, França, dentre outros países.
Entre os brasileiros, os registros apontam a predominância do turista vindo de São Paulo e Minas Gerais.
Atrativos – O presidente Pedro Costa, do Salvador e Litoral Norte da Bahia Convention & Visitors Bureau, afirmou, na segunda-feira (7/7), que o trade turístico baiano ficou bastante satisfeito com a visibilidade alcançada pela Bahia em mercados emissores de turistas, como a Europa e os Estados Unidos.
“Influentes emissoras de TV, como a CNN, mostraram os atrativos da capital baiana em reportagens muito positivas”, afirmou.
Na opinião de Pedro Costa, o êxito foi alcançado com o trabalho de organização e investimentos, que proporcionaram segurança para o cidadão baiano e para os turistas.
“A organização foi fantástica. Todos os aspectos positivos desta festa vão ficar como legado da bem-sucedida iniciativa do governo federal em associação com o governo estadual”, resumiu.
O presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) – Bahia, José Alves Peixoto Júnior, também enfatizou a infraestrutura do evento.
“Do Aeroporto Internacional de Salvador até o estádio, tudo funcionou muito bem, proporcionando ambiente seguro e confortável para os visitantes”, disse.
“Aliamos hospitalidade à capacitação profissional, de forma que os turistas começaram a expressar aqui mesmo a sua satisfação”.
Para José Alves, não há dúvida de que Salvador sediou jogos de uma das melhores Copas da história. “É uma alegria sediar um evento desse porte e aproveitar o legado para consolidar o turismo na Bahia como um eixo importante de desenvolvimento”, disse.
“Pesquisas feitas em outros países que sediaram o Mundial apontam a perspectiva do aumento de 20% do fluxo de turistas nas cidades-sede”.
O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih) – Bahia, Manoel Garrido, atesta que a avaliação final dos turistas sobre a Bahia foi altamente positiva.
“Eles gostaram muito da hospitalidade, da alegria das festas e da culinária”, afirmou. “Salvador e Porto Seguro foram dois destinos bem avaliados e para os quais esperamos a multiplicação dos turistas em médio prazo”.
O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes na Bahia (Abrasel-BA), Luiz Henrique do Amaral, disse que os donos de bares e restaurantes comemoram o fluxo de turistas durante a Copa na capital baiana.
“Os jogos em Salvador movimentaram muito o setor de alimentação, principalmente as empresas localizadas nas regiões com apelo turístico, como o Centro Histórico, a Barra e o Rio Vermelho”, afirmou. Alguns estabelecimentos conseguiram dobrar o faturamento.
Do Estadão.

Translate »