Em dia histórico para o Mineirão, Brasil e Alemanha disputam uma vaga na final da Copa

O Mineirão será o centro das atenções do futebol mundial nesta terça-feira. A semifinal da Copa do Mundo, entre Brasil e Alemanha, às 17h, será prioridade para fãs do esporte nos quatro cantos do planeta. A movimentação de turistas é intensa na capital mineira para acompanhar a disputa. Devido à importância do confronto, o dia 8 de junho ficará registrado como data histórica para o Gigante da Pampulha, pois o estádio receberá a partida mais relevante dos seus 49 anos de existência.
Anfitriã do Mundial 2014, a Seleção Brasileira terá o desafio de parar a poderosa geração alemã, apontada como uma das mais qualificadas do torneio. A missão do time canarinho é ainda mais complicada pela ausência de Neymar, que fraturou uma vértebra nas quartas de final, na vitória por 2 a 1 sobre a Colômbia, e foi cortado da Copa. O capitão Thiago Silva, suspenso, é outro que não estará em campo. ”Tenho certeza que minha missão não acabou nesta competição. Tanto o Dante como o Henrique têm condições de jogar no meu lugar para alcançarmos a vaga na final”, disse Thiago.
No último treinamento antes de viajar à capital mineira, o técnico Luiz Felipe Scolari testou todas as formações possíveis para cobrir a vaga de Neymar. Ele disse que já tem a escalação pronta na cabeça, mas não revelará. Se escalar a equipe que começou a atividade em Teresópolis, o Brasil jogará com Julio Cesar; Daniel Alves, David Luiz, Dante e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Fernandinho e Oscar; Hulk e Fred. Porém, as entradas de Maicon no lugar de Daniel Alves, e Willian ou Bernard na vaga de Paulinho são possíveis.
”Se eu jogar com três volantes, que é uma das condições que eu posso jogar, vou dar mais liberdade aos laterais. Se eu jogar com dois homens (de marcação), vou dar um pouco menos de liberdade para os laterais, mas pode saber que vou acrescentar uma situação diferente para causar algum prejuízo para a Alemanha. É só isso que eu posso dizer”, analisou Scolari.
Na única vez que se enfrentaram na história dos Mundiais, o Brasil levou a melhor contra os europeus. Com vitória por 2 a 0, na decisão de 2002, o time canarinho, sob o comando de Felipão, conquistou o pentacampeonato. O retrospecto brasileiro também é favorável no aspecto geral, com 12 vitórias, cinco empates e quatro derrotas.
Por outro lado, as lembranças não há apenas negativas para os alemães, pelo menos no duelo particular entre os técnicos. Joachim Löw, foi o responsável pela demissão do comandante brasileiro da Seleção Portuguesa, depois de eliminação na Eurocopa’2008. Em sua quarta semifinal consecutiva, a Alemanha luta para ir à final e tentar o tetracampeonato e o treinador Löw busca o primeiro título internacional com os germânicos.
Alemanha
Os alemães desembarcaram em Confins no fim da manhã dessa segunda-feira. O time foi recepcionado por dezenas de torcedores, que viram tudo à distância. Da própria pista a equipe entrou no ônibus e foi para o hotel na Região Sul de Belo Horizonte. A recepção foi mais calorosa no Caesar Business, que teve cerca de 150 torcedores ansiosos para ver os craques. Müller, Podolski, Neuer, Klose e Schweinsteiger foram os mais assediados.
Ao contrário da Seleção Brasileira, que já conhece o gramado do Mineirão, pois disputou as oitavas de final contra o Chile, a Alemanha treinou no Gigante da Pampulha na véspera da semifinal. O técnico Joachim Löw concedeu entrevista no estádio e evitou antecipar a escalação titular. Apesar de ter Mertesacker recuperado de gripe, ele não deverá fugir da formação que começou contra a França, com dúvida no ataque, entre o veterano Klose e Schürrle. Outra opção seria adiantar Mario Götze para dar mais velocidade.
“Tínhamos alguns jogadores gripados, mas não foi algo tão negativo assim. Dois dias depois eles treinaram novamente. Todos os jogadores estão bem condicionados e nossa escalação eu ainda vou analisar, para depois falar com o time sobre isso”, frisou o comandante, que garantiu ânimo de sobra para disputar a semifinal. “Ambos os times tentarão fazer o seu jogo, sua forma de jogar bola, vão tentar ganhar. A motivação é chegar a final, para nós será um grande desafio jogar contra o país sede”, acrescentou.
Caso seja mantido e balance as redes brasileiras, Klose se tornará o maior artilheiro de todas as Copas, com 16 gols, superando Ronaldo Fenômeno. O tento marcado pelo camisa 9 diante da Seleção Portuguesa, na fase de grupos, fez com que ambos ficassem empatados na liderança.
Por Luiz Martini, Gilmar Laignier, Vicente Ribeiro e Thiago Madureira, do Jornal Estado de Minas.

Translate »