Atenção voltada para os Jogos Olímpicos de 2016

A contagem regressiva começou. A partir de hoje, faltam 500 dias para a Olimpíada do Rio de Janeiro, a primeira a ser realizada na América do Sul. Os olhares do mundo estarão voltados para o Brasil, para ver os melhores atletas, as quebras de recorde e a emoção do maior evento esportivo do planeta. Em 2016, tudo isso vai se encontrar na Cidade Maravilhosa.
De acordo com Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o Brasil tem vaga garantida na maior parte dos esportes, por sediar o evento. O desafio fica por conta dos esportistas de basquete, hóquei sobre grama e tênis, modalidades que não tem lugar cativo e que precisarão lutar em busca da vaga. A estrutura ainda está sendo montada e não poderá ser totalmente testada antes dos Jogos devido a atrasos que ocorreram desde o anúncio do Rio como sede. No entanto, o governo promete as instalações prontas para o início da disputa.
O número 500 pode trazer uma certa noção de distância. Mas para a preparação da estrutura, dos atletas de alto rendimento e do evento, o tempo é curto. O COB promete oferecer total apoio para todos os atletas que estiverem representando o país na Olimpíada.
“Todos os esforços do COB estão voltados para dar o melhor preparo possível aos atletas com chances de chegar aos Jogos Olímpicos. O COB está apoiando uma série de atletas que almejam uma final olímpica, o que já representará um grande resultado”, declarou Marcus Vinícius Freire, diretor executivo de esportes do COB.
“Nosso suporte não está voltado apenas àqueles que vão disputar medalhas, mas para que os 450 tenham os melhores resultados de suas vidas nos Jogos Olímpicos. O maior objetivo é proporcionar aos atletas as condições para que cheguem ao dia 5 de agosto de 2016 aptos para exercerem o melhor desempenho de suas carreiras nos Jogos do Rio”, completou o dirigente.
A ideia do COB é intensificar a preparação técnica, física e mental dos brasileiros para obter o melhor resultado do país na história da Olimpíada. A projeção é colocar o Brasil no top 10, com a conquista de, aproximadamente, 27 medalhas.
Para alcançar tal feito, é importante um trabalho conjunto, entre confederações, clubes e atletas, como acontece no judô, conforme declara o lutador Felipe Kitadai. “O trabalho que a Confederação (de Judô) faz é muito bom e nos dá um suporte muito grande. Tem uma equipe multidisciplinar com a gente, que não se vê na hora da luta. Mas temos nutricionista, psicólogo, preparador físico. Eles trabalham muito bem sincronizados ao clube. Essa é a grande chave de sucesso do judô”, afirmou o judoca.
Por Bruno Trindade, do O Tempo.

Translate »