Vendas de carros usados crescem 5,9% no ano

vendas

De Automotive Business

As vendas de veículos usados não demonstram o mesmo enfraquecimento visto no mercado de carros novos. De janeiro a outubro foram negociados 7,13 milhões de automóveis de segunda mão no Brasil. O volume é 5,9% superior ao anotado no mesmo período de 2014, segundo dados da Fenauto, federação das associações de revendedores de veículos. No comparativo mensal, no entanto, o resultado de outubro é 8,7% menor do que o de setembro e 14,1% inferior ao de igual mês do ano passado.
Apesar da queda na base mensal, o crescimento dos negócios na área de usados no acumulado do ano vai na contramão da realidade enfrentada no segmento de veículos novos. Os emplacamentos despencaram em 2015, com 1,76 milhão de automóveis vendidos, queda de 21,9% sobre os 10 meses de 2015. A situação indica que, com a economia contraída, o consumidor prefere buscar alternativas mais baratas para trocar de carro e os usados surgem como opção adequada.
Comprova esse momento do mercado a maior procura por seminovos, com até três anos de uso, que em boa parte substituem a venda de novos. A Fenauto indica que esse é o segmento que mais evoluiu nos 10 meses de 2015. Com 3,27 milhões de automóveis seminovos negociados, houve expansão de expressivos 35,1% na comparação com janeiro a outubro de 2014. Em todas as outras categorias a entidade registrou retração. A demanda por usados com quatro a oito anos caiu 7,5%, a por modelos com 9 a 12 anos ficou 7,7% menor e as vendas de veículos com mais de 13 anos diminuíram 11,1%.
O automóvel de segunda mão mais procurado em outubro foi o Volkswagen Gol, com 81,8 mil unidades entregues no mês e participação de 12% neste mercado. Atrás dele estão os Fiat Uno e Palio e os Chevrolet Corsa e Celta.
A demanda por veículos comerciais pesados de segunda mão teve retração tímida de 1,9%, para 283,8 mil unidades. A queda, no entanto, é quase insignificante na comparação com a baixa das vendas novos do segmento, que chegou a 42,6% de janeiro a outubro.
Entre os usados, a demanda por comerciais leves foi a que sofreu maior abalo este ano. Dados da Fenauto indicam redução de 23,8% nas vendas, para 1,15 milhão de unidades.
Com os resultados, o acumulado do ano sustenta a proporção de quatro veículos usados negociados para cada licenciamento de zero-quilômetro. No ano passado a balança era menos favorável aos usados, com proporção de três para um.
Fonte: ABLA

Translate »