Vendas de álcool disparam 168% com preço menor

O consumo de etanol hidratado em Minas no mês de junho bateu todos os recordes deste ano, atingindo a marca de 160,1 milhões de litros vendidos. A comercialização do biocombustível foi 168% maior que no mesmo período de 2014, quando 54,1 milhões de litros foram consumidos. No primeiro semestre de 2015, as vendas mais que dobraram, com 708,6 milhões de litros e já estão próximas de alcançar o total de volume consumido em todo ano passado, que foi de 749,6 milhões.
Enquanto isso, no Estado, a gasolina teve queda de 8,9% nos primeiros seis meses deste ano, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Diante disso, o aquecimento no comércio do etanol pode ser uma das causas do aumento na arrecadação do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) incidente sobre os combustíveis em Minas.
Dados da Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) mostram que de janeiro a junho deste ano, foram arrecadados R$ 3,96 milhões, o que representou uma alta de 2,2% em relação a 2014. No entanto, de acordo com o governo estadual, não há como saber exatamente qual o combustível puxou essa alta.
Em 2014, o Estado reduziu a alíquota do ICMS incidente sobre o etanol hidratado, de 19% para 14%, o que tornou o preço do combustível renovável mais competitivo. Somado a isso, no começo deste ano, o governo federal anunciou o aumento da tributação sobre a gasolina, por meio da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), do PIS e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Essa alta foi repassada para os preços. Em junho, a média do litro da gasolina em Minas ficou em R$ 3,35, enquanto o etanol permaneceu na casa dos R$ 2,19. Em Belo Horizonte, o valor médio ficou ainda menor: R$ 3,26 para gasolina e R$ 2,13 (álcool), uma relação de 65%. Mas há postos em que essa diferença cai para 62%. Por uma questão de rendimento do motor, o álcool é vantajoso quando está abaixo de 70% do valor da gasolina.
Para o presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool em Minas (Siamig), Mário Campos, o consumo do etanol em junho está dentro das expectativas. “Caso a economia estivesse numa situação melhor, o volume poderia ser superior a 180 milhões”, acredita. Desde janeiro, as vendas do etanol estão em ritmo crescente no Estado. Em maio último, o consumo atingiu 142,8 milhões de litros, enquanto em abril foram 140 milhões. Março ficou em 105,5 milhões.
Por Angélica Diniz, do O Tempo.

Translate »