Venda de usados cresce quase 9,5% no primeiro trimestre

Venda-de-Carros-300x200

De G1

O consumidor está voltando a comprar carro seminovo. Um carro com dois anos de uso custa até 30% menos do que um 0 km. Entretanto, a queda na venda dos novos, dentro e fora do Brasil, levou as montadoras a dar férias coletivas e retomar os planos de demissões voluntárias.
O excesso de carros e caminhões novos encalhados é resultado de vários fatores juntos. O dólar está valorizado e os reajustes do preço do aço deixaram as peças mais caras; o Brasil está sem acordo comercial com a Argentina, que compra oito de cada dez carros produzidos aqui e as exportações caíram quase 33%. As montadoras tiveram que reduzir a produção, dar licença remunerada, férias coletivas e oferecer planos de demissão voluntária.
Se os carros novos estão lotando os pátios, no mercado de usados o que está acontecendo é exatamente o contrário. Carro parado é por pouco tempo. As vendas dos veículos com um ou dois anos de uso estão aceleradas desde novembro do ano passado.
A conta que muita gente tem feito é a seguinte: com um ano, o usado fica 20% mais barato que um zero. No segundo ano são quase 30% a menos. “O cidadão comprando um carro com um ano, dois anos de uso, ele tem a garantia da loja que está vendendo e ainda assim tem a garantia de fábrica – que muitas fábricas dão cinco, seis anos de garantia”, explica o presidente da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto) Ilídio Gonçalves dos Santos.
Se você está em dúvida entre o usado e o novo, tem mais uma informação importante: logo, logo o carro 0 km vai ficar ainda mais caro. “Em julho temos aumento de IPI. Consumidor deve aproveitar a oportunidade que a partir de julho tem mais um aumento que vai refletir em 4%, 5% de aumento no preço final do veículo”, alerta o presidente da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores Flavio Meneghetti.
Fonte: ABLA

Translate »