Renault é investigada na França; suspeita é de fraude em emissões

Agentes franceses de uma unidade antifraude fizeram buscas em escritórios da Renault na última semana, segundo publicou nesta quinta-feira (14) a agência de notícias France Press (AFP), citando informações do sindicato de trabalhadores da fabricante.
A ação foi voltada para unidades de controle de motores, o que indicaria uma possível investigação de fraude em emissões de poluentes, afirmou o sindicato.
“Ele levaram computadores pessoais de diversos diretores”, apontou a entidade de trabalhadores da Renault.
Com a notícia, as ações da Renault chegaram a cair 23% na Bolsa de Paris nesta quinta-feira, o que representaria uma perda de 5,8 bilhões de euros em valor de mercado para a empresa.
A fabricante ainda não divulgou comunicado sobre o assunto e o governo francês também não confirmou as suspeitas até o momento, segundo a AFP.
Em outubro, um grupo ambiental indicou que a minivan Renault Space emitiria 25 vezes mais poluentes tóxicos do que o permitido pela legislação na Europa, mas a montadora contestou o resultado dos testes feitos independentemente.
Escândalo VW
No final de 2015, o Grupo Volkswagen admitiu ter fraudado os dados de emissões de poluentes em mais de 11 milhões de veículos no mundo inteiro. No Brasil, apenas a picape Amarok foi afetada.
Do Autoesporte.

Translate »