Renault anuncia produção do Captur no Brasil

O presidente do grupo Renault, Carlos Ghosn, confirmou nesta terça-feira (2) a complementação da linha da marca francesa no Brasil com o Kwid e o Captur, que serão produzidos na fábrica de São José dos Pinhais (PR).
Além dos dois, o Koleos será importado e brigará no segmento de SUVs maiores e mais sofisticados. Todas as três novidades começarão a ser vendidas em 2017 no Brasil.
Com a investida em lançamentos, a Renault espera alcançar 10% do mercado, afirmou Ghosn. Atualmente, a marca tem 7,39% de participação. A quarta colocada é a Hyundai, com 10%.
Os três modelos estarão no estande da Renault no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro.
Segundo Ghosn, o desenvolvimento do Kwid, que já é vendido na Índia, e do Captur teve participação das áreas de tecnologia e design da América Latina.
“Mesmo que o mercado brasileiro tenha caído este ano, isto foi compensado com um desenvolvimento muito importante na Europa, na Índia e na África do norte. Por isso, provavelmente vamos fechar 2016 com recorde de vendas”, afirmou Ghosn.
Mais um derivado do Duster
O Captur é um crossover que foi apresentado na Europa lá em 2013, mas chegará ao Brasil em uma versão diferente, feita sob a mesma plataforma do Duster, que já se desdobrou na picape Oroch. Esta versão mais alongada foi mostrada recentemente na Rússia com o nome Kaptur.
No mercado russo, o modelo pode ter tração nas 4 rodas e possui 4,33 metros de comprimento, 1,81 m de largura, 1,61 m de altura e distância entre-eixos de 2,67 m. O porta-malas tem capacidade para 387 litros.
A Renault não divulgou mais detalhes do modelo nacional do Captur, que entrará na briga com Honda HR-V e Jeep Renegade, entre outros.
‘Mini SUV’?
O Kwid é, na verdade, o substituto do Clio, mas a fabricante quer vender o compacto como um pequeno utilitário esportivo. Ele teve a produção confirmada no Brasil em maio deste ano.
O compacto terá motor 1.0 de 3 cilindros, com uma opção de 75 cv, mas aposta na leveza para apresentar desempenho para concorrer com Volkswagen Up e Fiat Mobi.
“É um carro moderno com preço bastante atrativo, para pessoas que buscam conforto e tecnologia, mas não podem gastar tanto”, afirmou Ghosn. Saiba mais sobre o Kwid.
Luxo
O SUV topo de linha da Renault virá da Coreia do Sul para ficar bem acima do Duster, o que significa entrar em um segmento novo de utilitários para a marca. O preço deve passar da faixa dos R$ 150 mil, mas ainda não foram anunciados. Saiba mais sobre o Koleos.
Por Erick Gimenes, do G1.

Translate »