Projeto de carro do futuro poderá detectar ataque cardíaco

TOKYO – As novas tecnologias na indústria automobilística que possibilitam, por exemplo, que o carro pare sozinho ou que ele detecte seu sono não param de surpreender os consumidores. A Ford está desenvolvendo um banco do condutor que poderá detectar um potencial ataque cardíaco e fazer com que o carro pare de forma segura.
A novidade se junta a iniciativas de outras montadoras, como a Toyota, para explorar um mercado crescente de compradores de carros com mais de 65 anos que hoje gera cerca de US$ 140 bilhões em vendas anuais nos EUA.
– Observamos megatendências e observamos o que os clientes querem e com o que eles vão gastar o seu dinheiro – disse Pim van der Jagt, diretor do Centro de Pesquisa da Ford, ao “Financial Times”. – Pessoas de 100 anos dirigindo carros não será anormal no futuro.
O assento vai monitorar possíveis irregularidades no sistema cardiovascular do motorista e vai trabalhar com uma câmera para monitorar o movimento da cabeça e sensores no volante para detectar um ataque cardíaco, envolvendo os sistemas de direção e frenagem.
PUBLICIDADE
– Cerca de 30% das pessoas acima de 65 anos têm algum tipo de irregularidade no coração – disse van der Jagt. – Se ainda estão dirigindo, então vão ter um interesse real no fato de que eles vão ser monitorados no carro.
A Ford, que afirma que 30% da população da Europa será composta por pessoas acima de 65 anos até 2050, está relutante em dizer quando a tecnologia estará disponível em seus carros de produção, mas van der Jagt disse que levaria menos de cinco anos para escalar até a produção plena.
Já a Toyota está realizando testes de campo no Japão, que tem uma das maiores populações de idosos do mundo, por vários sensores e scanners que acionam os sistemas de alerta nos cruzamentos e semáforos, visando os motoristas mais velhos que querem continuar no volante, mas cuja percepção pode estar prejudicada.
De O Globo.

Translate »