Peugeot reduz custos e reestiliza modelo 308, deixando de lançar versão nova europeia

Em vez de lançar o totalmente novo 308 europeu no Brasil, a Peugeot optou por apenas reestilizar o modelo. A razão, embora não admita oficialmente, é a redução de custos de projeto. A grande mudança no hatch médio está na dianteira, que adota o novo padrão de estilo da marca francesa, acompanhado da transmissão automática de seis velocidades EAT6 – que estreou localmente no “primo” Citroën C4 Lounge. Fora as novidades estéticas, o 308 passa a ser posicionado em uma gama enxuta de versões (Allure e Griffe, com motores 1.6, 1.6 turbo THP repotenciado de 165cv para 173cv ou 2.0), focado numa lista de equipamentos completa, esta sim, no padrão europeu, a partir de R$ 69.990. São de série ar-condicionado de duas zonas, seis airbags (dois frontais, dois laterais e dois do tipo cortina), sistema Isofix de retenção para cadeirinhas, sensor de estacionamento traseiro, rodas aro 17 polegadas e teto solar panorâmico. O sedã 408 reestilizado chega ao mercado em novembro. Na sequência, vem o novo 308 de fato, importado. O hatch europeu passa por homologação e a Peugeot aguarda apenas uma estabilização do dólar para começar as vendas.
O reposicionamento de mercado do 308 e futuros modelos, afirma a nova presidente da Peugeot do Brasil, Ana Theresa Borsari, acompanha as novas diretrizes globais da companhia. Na prática, a Peugeot busca se distanciar das marcas tradicionais do mercado, incluindo a também francesa Renault, oferecendo uma proposta diferenciada.
Produzido em El Palomar, Argentina, o novo 308 incorpora a grade frontal trapezoidal que passou a identificar os modelos Peugeot desde a chegada do 508. Os faróis afilados de máscara negra, as luzes diurnas de LED (também de série) e o novo capô conferem um ar contemporâneo ao hatch, que mantém o perfil ousado, mas destoa da traseira, que manteve as lanternas (apenas com nova distribuição de luzes) e a tampa arredondadas. Na versão topo de linha Griffe, outra novidade são as rodas com acabamento diamantado.
A visibilidade é um dos pontos fortes do interior do 308, aprimorada agora com o teto panorâmico. A sensação é de uma verdadeira sala de estar, inclusive no banco traseiro. No modelo reestilizado, mudaram a modelagem do estofamento dos bancos, mais macios, o couro perfurado (de série no Griffe), instrumentação e o console central do painel, em preto brilhante. A Peugeot diz ter recalibrado o sistema de ar-condicionado, com mais potência de refrigeração e menor ruído. A tela multimídia equipa o modelo desde a versão 2.0 Allure e permite o espelhamento de smartphones com sistema operacional Android. Navegação por GPS com mapas da América Latina, sensores de estacionamento e câmera de ré integrados, contudo, são recursos exclusivos da versão Griffe. Também foram feitas melhorias de conforto nos amortecedores e articulações da suspensão.
DESEMPENHO A nova caixa automática EAT6 teve as relações alongadas em 11%, conta com novo modo Eco (que garante até 7,5% de redução de consumo) e novo conversor de torque. Em test drive de cerca de 100 quilômetros entre São Paulo e o litoral paulista, a versão topo de linha equipada com novo câmbio demonstrou bom acerto com rápidas respostas, com uma pegada levemente esportiva. Ficaram faltando, contudo, as aletas para trocas de marcha atrás do volante.
Apesar de a rede de concessionárias Peugeot ter diminuído em 2015, incluindo o fechamento de duas lojas em Belo Horizonte e Contagem, Borsari promete a abertura de 10 novos pontos até o fim do ano e outros 27 no ano que vem. São cinco as opções de cores: vermelho Rubi (base), sem acréscimo de preço; branco Banquise (especial, exclusiva para Allure), preto Perla Nera (metálica), cinza Aluminium (metálica) e branco Nacré (perolizada), que somam de R$ 590 a R$ 1.590 ao valor do 308. A garantia é de três anos, com direito ao serviço de assistência 24h Peugeot Assistance.
* O jornalista viajou a convite da Peugeot
PREÇOS
1.6 Allure manual R$ 69.990
2.0 Allure automático R$ 75.990
1.6 THP Griffe automático R$ 82.990
Por Bruno Freitas, do Jornal Estado de Minas.

Translate »