Os carros mais econômicos, pela classificação do Inmetro

Carros+econômicos ABRE 3

 
Conheça os vinte carros mais eficientes, conforme a classificação 2014 do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Carros acima de 1.0 e com ar-condicionado também demonstram eficiência no uso do combustível
Entre os importantes critérios para a compra de um carro está o consumo de combustível. O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) divulgou o ranking 2014 dos carros mais econômicos. Foram 36 montadoras e 495 versões de veículos. O POVO elencou os 20 carros mais econômicos, sob o critério da maior quantidade de quilômetros percorridos por litro de gasolina na estrada. A GM/Chevrolet, Ssangyong e a Haima não participaram do estudo do Inmetro.
Entres os destaques estão o Renault Clio Authentique 3 Portas, com 15,8 km/l; Fiat Novo Uno Economy Evo 4 portas, com 15,2 km/l; Fiat Palio Fire Economy 2 Portas, com 15 km/l, além do Nissan March (15km/l) e o Volks Gol BlueMotion Technology 2 (14,9 km/l). Confira documento completo em http://bit.ly/1fcyRjq.
O diretor conselheiro da Associação dos Engenheiros Automotivos do Brasil (SAE-Brasil), Francisco Satkunas, destaca os principais fatores que tornam um carro econômico: peso reduzido, aerodinâmica melhorada, motor eficiente, transmissão inteligente, além de novas tecnologias. Tudo isso junto pode gerar uma eficiência 20% maior.
 
Carros mais econômicos
 
“Mais de 50% do carro é aço. Por isso, foi criado o HSS (High Strength Steel), um aço de alta resistência. Você pode diminuir pela metade o peso da carroceria. Cerca de 15% da estrutura de carro é feito com esse tipo de aço que é fabricado no Brasil. Para cada 70 kg que você tira do carro, há uma melhoria no consumo de 5% em média”, explica o engenheiro.
Satkunas ressalta que também o alumínio também é usado, mas é mais caro. Para cada quilo de alumínio inserido no carro, dois quilos de aço são retirados. Há plásticos de alta tecnologia e, no futuro, fibra de carbono – 30% mais leve que o plástico -, também vai entrar na composição dos veículos.
“Outra coisa que economiza combustível é a borracha do pneu. Cada vez mais teremos os pneus verdes, que não se agarram tanto no solo. Também é mais caro, mas dá economia de 5% de economia de combustível”, afirma o diretor da SAE.
 
Aerodinâmica e motor
O ar provoca grande resistência de deslocamento. Os faróis deixaram de ser quadrados por conta disso, explica. Hoje, são alongados para ter fluidez do ar.
O motor de três cilindros, que já equipa o Hyundai HB20 no Brasil, é outro avanço em relação ao consumo. Conforme Satkunas, a Ford virá com esse motor e a Volks vai utilizar no UP!, apresentado ontem e que será lançado em fevereiro. “A Fiat já está trabalhando no motor de dois cilindros. Twin Air é o nome desse motor”, detalha.
São mais econômicos porque são menores, com menos peças e maior potência. Diz que, em breve, teremos o motor 1.0 turbinado, com potência de um 1.6 e mais econômico.
 
Start Stop
Está, por exemplo, no Golf importado, mas não em carros nacionais. O Stop Start gera uma grande economia de combustível. Ao pisou no freio mais que cinco segundos, o motor se desliga só. Ao retirar o pé do freio e pisar no acelerador, volta a funcionar.
“De 8% a 10% de potência do motor vai só pra o ar-condicionado. Um carro com ar ligado no trânsito, vai gastar mais de 1 litro de gasolina por hora para andar 1 km”, afirmou.
 
Fonte: Portal do Trânsito

Translate »