Empresários discutem segurança e gestão de frota

PARAR-2015_Conferencia

Um em cada dez veículos leves que rodam pelas ruas do País são carros de empresas, usados no dia a dia para a prestação de serviços. Com o objetivo de orientar os gestores de frotas e oferecer um serviço mais profissional aos funcionários, o instituto Parar trabalha com três pilares: cultura de educação no trânsito, profissionalização dos gestores de frota e uso de indicadores de acidentes no trânsito.
A Conferência Global Parar, que terá sua terceira edição em novembro próximo, vai discutir o assunto com cerca de 400 empresários do setor.
Segundo os dados do Instituto, a cada 30 mil comportamentos de risco que ocorrem no trânsito, 30 acabam com pessoas gravemente feridas e um causa mortes. Por isso, o Parar busca conscientizar e educar gestores e motoristas de frotas para diminuir o risco diário durante a jornada de trabalho.
Alguns temas que serão discutidos ao longo do evento são: mapear e diagnosticar os cenários, conceitos de uma boa política de gestão de frota, indicadores e critérios para análise de situações, treinamentos para a capacitação do gestor e dos motoristas e a difusão da cultura de educação no trânsito.
Após o Parar, muitas empresas desenvolveram a cultura de segurança para analisar e educar seus motoristas.
A Ambev, por exemplo, criou um departamento para cuidar das frotas e analisar o comportamento dos motoristas, alcançando reduções importantes no número de acidentes. Outra empresa, a IBM, teve uma atitude ainda mais interessante: além de contar com um setor voltado para o gerenciamento da frota, na hora de renovar a frota, a empresa decidiu comprar apenas os carros que tinham conquistado cinco estrelas nos testes de batida da NCAP.
Caio Bednarski
 
Fonte: UOL – Blogs

Translate »