ARVAL no Valor Econômico

Arval planeja elevar em 11% a gestão de veículos

Por João José Oliveira

A Arval, empresa do grupo BNP Paribas no segmento de terceirização de frotas, tem meta de ampliar em 11% a quantidade de veículos que opera para clientes corporativos, disse o diretor comercial da companhia, Andrea Falcone. Conforme disse ele, a frota sob gestão da companhia vai atingir 25 mil veículos, depois de ter crescido 14% no ano passado.

Falcone trabalha com um cenário em que a empresa vai ganhar novos contratos de terceirização de frotas apoiada em dois fatores: incremento da demanda por esse tipo de serviço no país e consolidação no setor. Nas contas da Arval, existem cerca de 350 mil carros de empresas terceirizados, o equivalente a 15% do universo de veículos usados por proprietários corporativos. Na Europa, essa taxa varia de 20%, em alguns países, a 95%, no caso da Holanda, disse Falcone. “A quantidade de carros usados no Brasil pelas empresas em regime de terceirização de frotas
cresceu 4% ano passado e deve crescer mais 9% este ano”, disse o diretor da Arval.

Além da maior taxa de penetração desse negócio no país, o diretor da companhia disse que a Arval deverá aproveitar o movimento de consolidação do mercado, sob o qual as grandes companhias estão ocupando espaço das locadores menores. “A consolidação no Brasil não terminou. Devemos ter no longo prazo cerca de 80% do mercado dominados por
cinco empresas. Hoje, as sete maiores têm cerca de 70%”, disse Falcone.

Nos últimos dois anos, a consolidação no setor de locação de veículos teve a compra da Hertz Brasil pela Localiza, e a
aquisição da Ricci pela Locamerica, que depois se fundiu com a Unidas.

O diretor da Arval disse que empresa pretende fazer uma expansão orgânica, por crescimento operacional e de receita, mas não descarta fazer aquisições. A última compra do grupo francês na América do Sul foi em 2016, quando assumiu 12 mil carros da Relsa, com operações no Chile, no Peru e no Brasil.

A meta da Arval para o Brasil é elevar a atual participação de mercado, dos atuais 7,5% para 10% até 2020. “O Brasil é nosso oitavo maior mercado no mundo, o maior entre os países emergentes”, disse Falcone.

A Arval administra contratos de gestão de frotas que somam 1,1 milhão de veículos em 29 países. França, Itália, Espanha e Inglaterra são os maiores mercados da companhia.

Fonte: João José Oliveira – Valor Econômico

Translate »