Motoristas querem tecnologias de segurança

As montadoras investem em diversos tipos de tecnologia, como centrais multimídia, bancos com sistema de aquecimento, memorização de posições, sistemas voltados para a segurança dos ocupantes.
Mas, quais destas tecnologias são realmente importantes para o motorista? Segundo um estudo realizado pela consultoria J.D Power, o usuário quer tecnologia voltada para a segurança, que possa ajudar a evitar colisões.
Detecção de ponto cego, visão noturna, sistema anticolisão (que aciona os freios automaticamente ao detectar um possível acidente), são as três principais tecnologias que os motoristas preferem. Novidades voltadas para a economia de combustível e conforto interno ficam em segundo plano na lista das prioridades.
Os motoristas com idade até 38 anos estão mais dispostos a gastar com itens de segurança, aceitando pagar até US$ 3.703,00 por um pacote opcional com estas novidades. Os mais velhos querem que essas tecnologias fiquem ainda mais baratas.
O problema é que, segundo as montadoras, algumas destas tecnologias ainda são caras e estão presentes apenas em carros de luxo.
Por exemplo, um Mercedes-Benz Classe S, custa US$ 94 mil nos Estados Unidos e para ser equipado com o detector de ponto cego, você deve comprar um pacote de opcionais que custa US$ 4,5 mil. Se você acrescentar o sistema de visão noturna, o gasto será de US$ 6.760,00, quase o dobro do valor considerado justo pelos entrevistados.
Porém, nem todas as tecnologias são caras. Segundo a Toyota, o sistema de frenagem automática em caso de colisão da RAV4, custa entre US$ 300 e 600. A questão é: o sistema automático de frenagem será vendido como opcional único, ou estará em um pacote de itens, o que encareceria o preço do equipamento?
Por Joel Leite, do Uol.

Translate »