México vai passar Brasil

O México vai ultrapassar o Brasil e se tornar o sétimo fabricante mundial de veículos nos próximos anos. A previsão é da consultoria IHS Global Insight, conforme a agência Flash de Motor.
O México seria o sexto colocado no ranking dos produtores de veículos, que atualmente tem a China em primeiro lugar, com 22.116.825 unidades em 2013, seguida pelos EUA (11.045.902), Japão (9.630.070), Alemanha (5.718.222), Coréia do Sul (4.521.429), Índia (3.880.938) e Brasil, com 3.740,418 unidades produzidas no ano passado. O México fechou 2013 em oitavo lugar, com 3.052.395 veículos produzidos
Segundo Guido Vildozo, responsável pela IHS na América Latina, os dois países trocariam de posição no ranking dos paises produtores, com o Brasil caindo para o oitavo lugar e o México subindo para sétimo. Guido Vildozo disse que a expectativa de crescimento de produção no México está baseada no aumento da capacidade instalada prevista para os próximos anos, com a inauguração das fábricas da Nissan, Honda e Mazda e também na retomada das exportações para os EUA, seu maior comprador.
O consultor avalia também que haverá um impulso nas vendas ao mercado interno. Ele avalia que o mercado interno mexicano ficou estagnado nos últimos anos porque era mais lucrativo exportar para os Estados Unidos, mas disse que existe um grande potencial que pode ser aproveitado.
O especialista, que falou durante o XII Congresso Internacional da Indústria do Automóvel, realizado na Cidade do México na semana passada, disse que a produção de automóveis no México continuará a crescer mesmo considerando que o país produz apenas oito carros com exclusividade, dos 40 modelos feitos no México. O consultor lembrou também que o país passará a ter a concorrência do Brasil na fabricação de alguns modelos hoje só feitos no México. Caso do March, que será produzido na fábrica que a Nissan inaugura em Resende, no Rio de Janeiro, no próximo dia 15 de abril (com a presença do chefão Carlos Ghosn).
Em alguns meses a fábrica – com capacidade para 200 mil unidades – vai produzir também o sedã Versa, derivado do March. Hoje ambos são importados do México. O March velho vai permanecer em linha, portanto a importação do México vai continuar, mas o volume de carros comprados do país vai diminuir.
A estimativa da consultoria é de que a produção mexicana de carros passe de quatro milhões de unidades nos próximos três anos, com boas chances de ampliar as vendas para o Chile, a Colômbia, o Peru e a Venezuela.
O volume de carros produzidos no país vem crescendo ao longo dos anos, assim como no Brasil mas enquanto a produção no Brasil cresceu 48% de 2005 para cá (de 2.530.840 para 3.740.418), a do México teve um aumento de 81%, passando de 1.684.238 unidades naquele ano para 3.052.395 em 2013.
Paralelamente, a indústria de autopeças mexicana também deve crescer. Estima-se que 86 % dos fabricantes de autopeças vão aumentar a capacidade de produção no México nos próximos 18 meses. Existe uma estimativa de demanda por peças de reposição para carros seminovos e também o crescimento das exportações. O México é o maior fornecedor de autopeças para os EUA.
Por Joel Leite, do Uol.

Translate »