Mercado é fraco para alguns, mas bom para outros

O ano está esquisito para as vendas de carros zero quilômetro. A queda do mercado beira os 20% no acumulado do ano, mas alguns modelos e marcas surpreendentemente crescem em participação. É o caso da Jeep, que apresentou em abril o Renegade, e que tem comemorado aos montes as boas vendas. O seu mais novo modelo entrou na lista dos mais vendidos em junho.
A marca aliás, pela primeira vez desde que se tem conhecimento, alcançou uma colocação entre as dez maiores do país. Fechou a primeira quinzena de julho justamente na décima colocação. Achou pouco? Pois saiba que o fabricante de origem americano hoje controlado pela italiana Fiat deixou para trás concorrentes de peso como Citroën, Peugeot e Mitsubishi, que tem mais tempo de mercado brasileiro.
A Jeep conseguiu 1,9% de participação de mercado, bem mais que os 1,1% da Peugeot, que tem um portfólio muito mais diversificado e com modelos a preços bem mais populares. Ou seja, em um ano terrível para o mercado, nem todos os vendedores tem motivos para ir às lagrimas. Parte do sucesso da marca pode ser justificado por um dado interessante.
De acordo com a Webmotors, marca líder em compra e vendas de veículos pela internet, o Renegade já ocupa a oitava posição entre os dez veículos mais procurados da internet. Na sua categoria, só fica atrás do Honda HR-V, outro fenômeno na preferência do consumidor, que ocupa o segundo lugar. A disputa promete ser apertada até o fim do ano.
Outro dado interessante neste momento de crise é a perda de participação das quatro grandes montadoras (Fiat, VW, Chevrolet e Ford). Juntas, as quatro detém 57% do mercado. O que é muito, mas a soma já chegou próximo dos 90%. A Hyundai ultrapassou os 9% de participação e ocupa o quinto lugar, enquanto a Toyota está em sexto com 8% do mercado. Cenário bem diferente de anos passados, ou seja, o mercado está de pernas para o ar em tempos de crise.
Por: Rodrigo Ferreira, Editor-chefe do WebMotors, Do Diário de S. Paulo.

Translate »