Indústria se conecta para seguir o novo sonho do carro próprio

carro

De Revista Cobertura Mercado de Seguros | Folha de São Paulo

O sonho do carro próprio já não é mais o mesmo. O desejo de consumir tecnologia, em alta especialmente entre os jovens, vem mudando as prioridades do brasileiro na hora de comprar um carro.
Se antes o que importava era a potência do motor, hoje há quem acredite que o essencial, mesmo, é poder enviar mensagens de texto usando um comando de voz enquanto dirige.
Pesquisa da consultoria francesa Capgemini, feita em sete países –Brasil, China, Índia, França, Alemanha, Reino Unido e EUA–, mostra que 47% das pessoas ouvidas usariam ou gostariam de utilizar recursos de conectividade em seus veículos.
Mais do que isso, a paixão por tecnologia ameaça o monopólio das montadoras na comercialização de carros.
Segundo o levantamento, 63% dos brasileiros mostraram disposição em trocar veículos de marcas tradicionais por unidades produzidas por grandes empresas de tecnologia, como Apple e Google, que começam a desenvolver produtos próprios no setor.
As mudanças de comportamento fazem com a que a indústria pense em soluções para manter seus produtos atraentes no futuro.
“As montadoras estão muito mais preocupadas com novas tecnologias. Temos visto vários lançamentos com tecnologia embarcada, com o objetivo de trazer a conexão do smartphone para dentro do automóvel”, afirma Marcelo Cioffi, da PwC.
De acordo com ele, os investimentos em tecnologia são feitos em três áreas: entretenimento e conectividade, segurança e mobilidade (carros conectados entre si ou que se dirigem sozinhos).
“Alguns, como entretenimento e segurança, são mais imediatos e vendem mais rápido”, afirma.
No Brasil, já é possível encontrar modelos no mercado com parte dessas novidades.
A Volkswagen, por exemplo, lançou neste ano o App-Connect, um sistema que conecta smartphone e central multimídia, de forma a permitir que o motorista utilize ferramentas e aplicativos do celular no veículo.
Fiat e Ford também já têm soluções voltadas para a conectividade de seus veículos.
Na Volks, a tecnologia está disponível nos quatro modelos da linha Fox e no modelo Golf Variant, e permite buscar por rotas no GPS, fazer ligações e enviar mensagens de texto por comando de voz e compartilhar uma rede wi-fi dentro do veículo.
Para isso, no entanto, é preciso desembolsar ao menos R$ 2.180 adicionais.
SEGURANÇA
Marcus Vinicius de Sousa, especialista em “infotainment” da montadora, afirma que o próximo passo é criar veículos que estejam conectados à internet durante todo o tempo –o que já ocorre em carros de maior valor.
Com a conexão, é possível, entre outras coisas, auxiliar na manutenção dos veículos.
É o caso do Volvo XC90, que possui tecnologia embarcada criada pela Ericsson. O software permite fazer um diagnóstico em tempo real do motor. Se ele estiver esquentando, por exemplo, o motorista receberá um SMS da central de atendimento.
“Existe uma demanda do consumidor para estar conectado o tempo todo”, afirma Alberto Rodrigues, executivo da Ericsson.
O aumento das ferramentas de conexão, no entanto, gera preocupações sobre a segurança dos motoristas, já que os smartphones são considerados a distração número um no trânsito.
Rene Martinez, sócio da consultoria EY e especialista no setor automotivo, alerta ainda para um outro problema: as informações dos usuários que estarão, agora, disponíveis também em seus carros –os dados podem ser alvos de hackers e estão expostos em caso de furto do veículo.
Fonte: Sindsegsc
 

Translate »