General Motors reconhece, nos EUA, 67 mortes por problema em miolo da ignição

Carros desligam sozinhos. Fabricante já recebeu multa de US$ 35 milhões por demora na comunicação do defeito
A General Motors pagará, nos Estados Unidos, indenizações às famílias de pelo menos 67 pessoas mortas em acidentes causados por tambores defeituosos da chave de ignição.
Kenneth Feinberg, advogado contratado pela GM para administrar a reparação financeira, atualizou hoje o número total de vítimas reconhecidas pela empresa. Até a semana passada, eram 64.
Há ainda 113 pessoas feridas que podem receber compensações (antes eram 108). A empresa recebeu 4.342 queixas até o dia 31 de janeiro, data que estipulou para os pedidos de compensação. Destes, 1.492 estão sob análise e 820 foram considerados improcedentes pela GM. Feinberg afirma que os pedidos restantes careciam de documentação ou tinham falhas.
A GM sabia dos problemas no miolo da ignição no Chevrolet Cobalt (em versão antiga, feita nos EUA) e de outros carros compactos há mais de uma década, mas só fez o recall no ano passado. Por conta do atraso na comunicação do defeito, a empresa foi multada em US$ 35 milhões pelo National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), órgão federal responsável pela segurança do tráfego nos EUA.
Quando o carro está em movimento, a chave pode mudar de posição sozinha, cortando o motor, desligando os airbags e reduzindo a assistência hidráulica da direção, o que deixa o volante subitamente pesado.
Foram chamados de volta às concessionárias 2,8 milhões de carros dos modelos Cobalt 2005-2010, Saturn Ion, Pontiac Solstice, Pontiac G5 e Chevrolet HHR (nenhum deles vendido oficialmente no Brasil).
Por AP, via O Globo.

Translate »