Fiscalização reforçada nas rodovias vai até 31 de janeiro de 2015

rodovia-CNT_web

Operação Integrada Rodovida teve início no dia 12 de dezembro
 
A Operação Integrada Rodovida, que reúne diversos órgãos federais, estaduais e municipais, reforçará as ações de prevenção, fiscalização, socorro às vítimas de acidentes e campanhas educativas sobre segurança no trânsito até o dia 31 de janeiro. As atividades tiveram início no dia 12 de dezembro.
O planejamento foi elaborado com base em estudos estatísticos da PRF (Polícia Rodoviária Federal) sobre os trechos mais perigosos das rodovias brasileiras e sobre os acidentes mais graves e frequentes.
Cinco trechos da BR-101 aparecem entre os 10 mais perigosos
As ações serão concentradas, principalmente, nos dez trechos de rodovias federais considerados mais perigosos. O levantamento considera os locais onde mais ocorreram acidentes graves, que resultaram em mortes ou feridos graves entre agosto de 2013 e julho de 2014.
Metade dos trechos estão na BR-101, sendo dois em Santa Catarina e três no Espírito Santo. Juntos, os cinco locais somam um total de 478 acidentes graves e 50 mortes.
O mais perigoso está na BR-222, no Ceará, que teve 168 acidentes graves no período de um ano, com nove mortos e 204 feridos graves.
 
Colisões frontais são os acidentes mais violentos
Segundo os dados do órgão, a colisão frontal é o tipo de acidente mais violento. Apesar de representar apenas 3% do total de acidentes nas BRs, essas colisões respondem, em média, por 34% das mortes.
Por isso, um dos alvos da fiscalização será para evitar ultrapassagens proibidas. Desde novembro deste ano, a multa aplicada para motoristas que cometem esse tipo de infração passou para R$957,70. Condutores que forem pegos forçando a passagem, obrigando o outro veículo a frear ou desviar, pagarão multa no valor de R$ 1.915,40. Os valores dobram para aqueles que forem reincidentes no período de um ano.
Excesso de velocidade, embriaguez ao volante e não uso do capacete também estão elencados como os principais alvos da operação por também estarem entre as principais causas de mortes em acidentes de trânsito. Para a PRF, o crescimento na frota de motocicletas exige uma atenção especial, já que esse tipo de veículo esteve envolvido em mais de 31,5 mil acidentes entre agosto de 2013 e julho de 2014, com um total de 2,1 mil mortes e 10,1 mil feridos graves.
 
Com informações da Agência CNT de Notícias
 
Fonte: Portal do Trânsito

Translate »