Facilidade em financiamentos favorece veículos mais equipados

equipado

De Automotive Business

A maior parte dos brasileiros que têm a chance de adquirir ou trocar seu automóvel está migrando dos veículos mais básicos para aqueles mais equipados, que oferecem um algo mais além de rodas e carroceria. É o que mostra pesquisa sobre a participação de modelos de entrada no total de carros financiados: considerados os mais básicos e mais baratos no portfólio das marcas, esses modelos perderam importante fatia do mercado de financiamentos nos últimos quatro anos, passando de 37% em 2011 para 27% em 2014, aponta a Cetip, que opera o Sistema Nacional de Gravame (SNG), banco de dados privado que reúne as informações sobre veículos financiados no País.
O levantamento também mostra a ascensão dos modelos hatches, embora muitos deles também façam parte da categoria de entrada. A participação desses carros com preço superior à base da tabela nos financiamentos não passou de 19% em 2011 e cresceu para 29% no fechamento do ano passado. Entre os que acenderam entre os mais comprados por financiamento estão o Chevrolet Onix, que assumiu a liderança da categoria em 2014, com pouco mais de 112 mil unidades financiadas, seguido pelo Hyundai HB20, que em apenas dois anos após seu lançamento (2012) assumiu a vice-liderança, com 79,9 mil unidades.
Entre os sedãs pequenos também houve aumento da participação nos financiamentos, passando de 18% para 21% nos mesmos quatro anos, enquanto sedãs médios aumentaram sua fatia em um ponto porcentual, de 7% para 8%.
O movimento pode ser explicado em parte pelas facilidades da aquisição: modelos mais completos, com acessórios de série ou mesmo opcionais, têm o preço mais elevado, mas seus valores podem ser diluídos nas parcelas. Quem financia acaba levando mais sem que o preço pese muito no bolso.
De acordo com a Cetip, foram financiados pouco mais de 2 milhões de automóveis novos e 2,9 milhões de usados em 2014, totalizando 5 milhões de veículos leves. No total, considerando todas as categorias – leves, pesados e motocicletas – o País encerrou o ano com 6,39 milhões de unidades financiadas, entre novos e usados.
Fonte: ABLA

Translate »