Exportações de veículos avançam com novos acordos

car

De Automotive Business

Enquanto o mercado interno encolheu, as exportações de veículos tiveram crescimento em maio. Dados da Anfavea, associação que representa as montadoras, mostram que 40,7 mil carros nacionais foram entregues em outros países. O volume é 41,7 maior do que o de abril e ainda 16,5% superior ao do mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano as exportações somaram 149,2 mil unidades, com crescimento mais tímido, de 3%.
Em valor o resultado não é tão bom por causa de mudanças no mix de produtos. Houve queda de 12,1% de janeiro a maio, com faturamento de US$ 4,52 bilhões. O desempenho do mês passado, no entanto, superou em 50,9% o de abril e em 12,6% o de maio do ano passado, com US$ 1,26 bilhão em receitas de exportações.
A evolução, segundo a Anfavea, reflete o fortalecimento de acordos comerciais importantes para o Brasil. Um deles é com o México, renegociado recentemente. Os embarques para o País cresceram 80% este ano na comparação com janeiro a maio de 2014 e passaram de 18,7 mil unidades. Em valor, a alta é de 71%. “O mercado interno deles está crescendo e houve redução da importação de veículos usados, o que abre mais espaço para a venda de novos na região. A desvalorização do real em relação ao dólar também influenciou no aumento dos volumes”, avalia Luiz Moan, presidente da Anfavea.
O executivo acredita ainda que a previsibilidade garantida pelo acordo entre o Brasil e o país – que tem validade de três anos – oferece mais segurança para que os negócios cresçam. O projeto da entidade é firmar e fortalecer parcerias com outros países para garantir volumes mais robustos às fábricas brasileiras de veículos, que sofrem com a severa queda da demanda.
A Argentina, que tem relação de integração produtiva com a indústria brasileira, é essencial nesse plano. A Anfavea espera que um novo acordo com o país vizinho saia em breve, porém com prazo mais curto que os anteriores, de um a dois anos. A Colômbia e o Equador também são alvo das fabricantes de veículos instaladas localmente. “Os governos já tiveram duas ou três reuniões e estamos apoiando no que podemos”, aponta.
A União Europeia é outra cliente potencial que está entre as ambições da entidade. A expectativa de Moan é de que nos próximos 30 dias o Mercosul faça uma proposta ao bloco. A partir daí a negociação deve evoluir nos próximos meses.
Diferentemente do que fez com mercado e produção, a Anfavea não divulgou novas expectativas para as exportações. Está mantida a projeção de que as vendas internacionais crescerão 1,1%, para 338 mil unidades. A alta deve ser de 1% em veículos leves e de 2,7% em pesados. Em valor o resultado pode chegar a US$ 11,8 bilhões, 2,5% maior do que o de 2014, incluindo também máquinas agrícolas.
Fonte: ABLA

Translate »