Cefet-MG vai reciclar veículos

O Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) terá a primeira fábrica de reciclagem de veículos da América Latina. A instituição assinou em Kanazawa, no Japão, um Termo de Projeto (TEP) para a construção da fábrica piloto, que será erguida no Campus II da entidade, no bairro Nova Gameleira, na região Oeste da capital. A assinatura do TEP foi feita no último dia 3 e prevê investimentos de US$ 1 milhão pelos japoneses.
De acordo com o Cefet-MG, os ganhos ambientais e econômicos com a iniciativa serão bastante relevantes, já que a fábrica será capaz de aproveitar mais de 95% dos veículos que serão reciclados. A redução de energia na produção de aço a partir de sucata ferrosa de carros inservíveis será de 56% em relação à fabricação do metal a partir do minério de ferro.
O empreendimento também vai enriquecer o currículo de professores e alunos do centro tecnológico. Segundo o diretor geral, Márcio Silva Basílio, quando a unidade piloto de reciclagem estiver ativa, todos os cursos com base tecnológica – nas áreas de química e de eletrônica, por exemplo – vão se beneficiar da estrutura.
“A fábrica vai permitir a descoberta de novas utilidades para todos os componentes do veículo. Ela vai envolver alunos dos cursos técnicos e da graduação, e pode motivar teses de mestrado e doutorado”. Basílio ressaltou ainda que o projeto vai viabilizar treinamentos para alunos, professores, engenheiros e técnicos do Cefet-MG no Centro Internacional de Treinamento, que ainda vai ser criado.
Entenda. O TEP envolve a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), órgão do governo japonês, e a empresa Kaiho Sangyo, líder no país oriental na reciclagem de veículos em fim de vida útil, segundo o Cefet-MG. O recurso a ser investido pelos japoneses será usado na criação da fábrica de reciclagem de veículos, inclusive na planta e na compra de equipamentos.
Já o governo brasileiro vai investir recursos – cujo valor não foi revelado pelo Cefet-MG – na preparação de professores, a ser feita na fábrica da Kaiho Sangyo, no Japão; e no Centro Internacional de Treinamento.
Basílio afirma que os primeiros veículos a serem destinados para a reciclagem serão os sinistrados, doados por seguradoras, e os inservíveis, entregues por empresas siderúrgicas. O diretor destaca que os acordos para essa doação serão estruturados na segunda fase do projeto, até dezembro.
A fase seguinte será a criação de empresas para vender os componentes gerados na reciclagem.
Previsão de Inauguração. A previsão do Cefet-MG é que as atividades da planta piloto da fábrica comecem em fevereiro do próximo ano. A estrutura será concluída ao longo de 2015.
Entenda a iniciativa:
História. Em 2010, o professor Daniel Castro, do Departamento de Engenharia Mecânica do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), participou de treinamento de reciclagem de veículos oferecido pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica). Em 2012, após lançar livro sobre a experiência japonesa, ele começou a negociar com a direção da Jica a possibilidade de abrir a fábrica de reciclagem de veículos no centro tecnológico.
Espaço. A planta piloto da fábrica e o centro de treinamentos serão construídos no campus II do Cefet-MG, no espaço onde funcionava a marcenaria.
A estimativa é que as duas unidades tenham 600 m², sendo que a fábrica terá 400 m², segundo o Cefet-MG.
Perfil. A iniciativa terá caráter multidisciplinar. A expectativa é envolver professores e alunos em todos os níveis de ensino no desenvolvimento de projetos de pesquisa em diversas áreas.
Adaptação. O Cefet-MG informou que, para que seja estabelecido um mercado legal para os componentes gerados na fábrica, irá estruturar reuniões com Executivo e Legislativo, previstas
para 2015.
Por Letícia Simões, de O Tempo.

Translate »