Brasil: Queda nas vendas prejudicou desempenho global das montadoras

montadora

 De Folha

Em 2013, o Brasil registrou a primeira queda nas vendas de veículos desde 2003 e isso repercutiu negativamente nos resultados globais das montadoras. Além disso, o país também contribuiu com custo de produção, gastos para adaptação de fábricas, inflação e câmbio, sendo este último o principal fator de perdas no ano passado.
Com o dólar em alta, os ganhos na moeda americana diminuíram e os preços dos componentes importados só aumentaram. Para a GM, por exemplo, o resultado ruim no Brasil gerou um prejuízo global de US$ 1,4 bilhão. O lucro operacional caiu para US$ 300 milhões na América do Sul, sendo que o país representa 60% desse montante. A perda foi de US$ 200 milhões.
A Renault perdeu € 619 milhões com a ajuda do Brasil em 2013, enquanto a Ford teve prejuízo de US$ 34 milhões na América do Sul, onde o país representa também 60% das vendas. A Fiat foi uma das mais afetadas pela queda nas vendas, vendo seu lucro operacional cair 53% na região e fechando com € 469 milhões. Alta do IPI e a construção da fábrica em Pernambuco, são apontados como os principais fatores que contribuíram para o resultado.
No ano passado, as grandes montadoras instaladas no país, especialmente Fiat e Volkswagen, perderam participação no mercado nacional. A italiana caiu de 23,06% para 21,34%, enquanto a alemã passou de 21,14% para 18,64%. GM e Ford até ganharam espaço, registrando 18,17% e 9,80% contra 17,68% e 9,37% de 2012, respectivamente. A Renault também perdeu, caindo de 6,65% para 6,61%. Já a Hyundai, foi a que mais ganhou, passando de 3,13% para 5,95% em um ano.
Fonte: Notícias Automotivas

Translate »