Acidentes em rodovias crescem. Mortes diminuem

estrada_web-300x225

De Diário da Manhã

Balanço divulgado ontem pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostra que houve aumento de 36% no número de pessoas presas por dirigir alcoolizadas nas estradas federais no ano passado. Em 2013, foram 11.868 detidos contra 8.693, no ano anterior. O levantamento aponta incremento de 22% no número de infrações relacionadas à direção sob influência do álcool, que passou de 31.782, em 2012, para 38.847, em 2013.
 
A Polícia Rodoviária informou que foram feitos 1,5 milhão de testes do bafômetro, 135% a mais do que em 2012, quando foram aplicados 648.505 testes.Em 2013, foram 8.415 mortos nas rodovias federais, 2.83% a menos que as 8.660 vítimas fatais de 2012. Já os feridos, foram 103.559, número 0,79% menor que o do ano anterior.
 
Os Estados que lideram nos casos de acidentes graves nas rodovias federais são Minas Gerais e Bahia. Juntos, somam cerca de 30% do total de mortes nas estradas, segundo informou Pires.
 
Os dados foram divulgados em entrevista coletiva em Brasília. A PRF também apresentou balanço sobre apreensões de cigarros e bebidas ilegais nas rodovias federais. Para Stênio Pires, o chefe da Divisão de Planejamento Operacional da PRF, a fiscalização do órgão e uma maior conscientização dos motoristas têm contribuído para diminuir as mortes nas rodovias.
 
“Procuramos focar na fiscalização, e aumentamos o número de autuações nos três casos mais problemáticos: por ultrapassagem, aumento de velocidade e falta do cinto de segurança. Por outro lado, percebemos que já existe maior conscientização dos motoristas, principalmente no que diz respeito a conduzir o veículo alcoolizado”, disse Pires.
 
Mesmo com os números considerados positivos, a PRF ainda demonstra preocupação com os dados relativos a motociclistas. Em 2013, houve 32.936 acidentes com motos nas rodovias federais, e um total de 1.620 mortes de condutores e outros 279 passageiros.
 
“Ainda percebemos que é preciso mais cuidado para motociclistas, pois, pelos números que temos, a chance um motociclista morrer é cinco vezes maior”, afirmou Pires.
 
A PRF trabalha também, além dos números absolutos, com a comparação entre o número de acidentes e o tamanho da frota. Por esse critério, os dados de 2013 levantados pela PRF apontam que a redução de acidentes, mortos e feridos foi maior. Em 2013, foram registrados 2.359 acidentes para cada um milhão de carros, valor que diminuiu 6,03% na comparação com os dados do ano anterior.
 
Os número de feridos em 2013 foi de 1.310 para cada um milhão de carros, o que representa redução de 7,7%. Já o valor relativo dos mortos ficou em 106 por milhão – queda de 9,6%. Em 2013, a frota registrada foi de 81,4 milhões de carros – 7,5% maior que no ano anterior, com base em números do Departamento Nacional de Trânsito.
 
Fonte: Portal do Trânsito

Translate »